6 tipos de tráfego para aumentar sua audiência, amplificar sua mensagem e gerar mais resultados para o seu projeto

6 tipos de tráfego para aumentar sua audiência, amplificar sua mensagem e gerar mais resultados para o seu projeto

Ferramentas para blog

Você já ouviu alguém contar a velha história de que existem apenas dois tipos de tráfego na internet, o pago e o gratuito?

Pois bem. Eu estou aqui para te dizer que as duas informações estão erradas.

Não existem apenas dois, mas sim seis tipos de tráfego na internet.

E, infelizmente, nenhum deles é gratuito.

Nem mesmo o tráfego de busca orgânica que leva visitantes do Google para o seu site.

Se você quiser entender melhor os detalhes disso tudo, siga lendo este artigo para descobrir:

  • A importância do tráfego no marketing de conteúdo
  • Quais são os 6 tipos de tráfego
  • Para onde você deve enviar seu tráfego
  • A temperatura dos seus visitantes
  • E se você triplicasse as visitas do seu site?

Vamos iniciar compreendendo por que o tráfego é uma peça tão importante para o marketing de conteúdo.

A importância do tráfego no marketing de conteúdo

Importância dos Tipos de Tráfego

Esta é a primeira aula da sexta etapa do curso Presença Digital de Zero a Dez, chamada Gerando Audiência em Massa.

Nas cinco etapas anteriores, nós vimos em detalhes como:

  1. Planejar a criação da sua presença digital
  2. Construir o seu site
  3. Definir um processo de produção de conteúdos para o seu projeto
  4. Criar autoridade no seu nicho de mercado
  5. Oferecer recompensas digitais para criar uma lista de emails

Se você fez todas as tarefas até aqui, já tem um site no ar com algum conteúdo e pelo menos uma página de inscrição oferecendo uma recompensa digital para o início de um funil de vendas.

O passo seguinte, que vamos ver a partir de agora, é gerar tráfego para o seu site e, principalmente, para a sua página de captura.

Tráfego é como chamamos o fluxo de visitantes para as páginas do seu site.

Se fizermos uma analogia de um projeto na internet com o corpo humano, você pode pensar no tráfego como o sangue que corre nas veias do organismo.

Sem ele, nada do que você construiu até agora terá valia.

Você precisa ter pessoas conhecendo o seu site, lendo os seus conteúdos, baixando as suas recompensas digitais e entrando na sua lista de emails.

Para fazer isso, você tem que entender os 6 (sim, seis!) tipos de tráfego.

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Quais são os 6 tipos de tráfego

Como disse no início desta aula, muita gente afirma que existem apenas dois tipos de tráfego: o gratuito e o pago.

Isso não poderia estar mais longe da verdade. Basta você abrir o painel do Google Analytics e ver que ali mesmo a mais popular ferramenta de métricas de todos os tempos indica pelo menos cinco tipos de tráfego:

  1. Busca Orgânica
  2. Direto
  3. Redes Sociais
  4. Referência
  5. Email

A eles, eu ainda acrescento o tráfego de anúncios.

E, infelizmente, não é apenas este último que é pago. Todos eles são.

Vamos entender melhor isso, começando pelo tráfego que popularmente é conhecido como gratuito.

1. Busca Orgânica

Tipos de tráfego

Tráfego de Busca Orgânica, ou simplesmente tráfego orgânico, é aquele que se origina de mecanismos de busca, como Google ou Bing.

Sempre que alguém vai ao Google, digita uma palavra-chave e clica no seu site entre os resultados que aparecem organicamente, isso é contado como uma visita de busca orgânica.

Resultados que aparecem organicamente são todos aqueles que não são pagos para aparecerem no topo da página de resultados.

Por conta disso, criou-se o mito de que esse tráfego seria “gratuito”.

Na verdade, para aparecer entre os primeiros resultados de praticamente qualquer busca, é preciso investir tempo e até mesmo dinheiro em técnicas de otimização para mecanismos de busca.

Por exemplo, se eu quiser que este post apareça entre os primeiros resultados do Google para a busca por “tipos de tráfego”, é bom eu me esforçar bastante.

Provavelmente terei que passar horas pesquisando os melhores termos, lendo páginas concorrentes, cuidando da densidade de palavras-chaves, fazendo uma estratégia de recebimento de links etc.

Isso pode sair muito mais caro do que simplesmente abrir o Facebook Ads e fazer um anúncio por dez reais, por exemplo.

Portanto, esqueça a ideia de que tráfego orgânico é gratuito. Ele pode até não ser pago diretamente com dinheiro, mas de uma forma ou de outra ele é sim pago.

E o mesmo acontece para o segundo dos tipos de tráfego…

2. Tráfego Direto

Tipos de Tráfego Direto

Sabe quando você abre o seu navegador, lembra do melhor blog de marketing digital que existe e digita lá na barra de endereços fatorw.com.br?

Esse é o chamado tráfego direto.

Aqui temos o tráfego que não vem de nenhuma outra fonte, mas diretamente do navegador do usuário, seja por meio da barra de endereços, dos favoritos ou do histórico.

Assim como acontece no tráfego orgânico, para aumentar o seu tráfego direto você precisa investir tempo, dinheiro e energia em ter um calendário editorial consistente, em produzir conteúdo de qualidade, em ter uma estratégia de branding.

Mais uma vez, não existe almoço grátis quando o assunto são tipos de tráfego.

3. Redes Sociais

Tipos de Tráfego de Redes Sociais

Um post no Facebook. Um tweet. Um link no YouTube. Uma recomendação no Linkedin.

Todo e qualquer link disponibilizado nas redes sociais que leve a uma das páginas do seu site será contabilizado como tráfego de redes sociais.

O Google Analytics automaticamente separa as visitas advindas desses sites daquelas que vêm de outros sites, não classificados como redes sociais.

Esses outros ficam na quarta categoria de tipos de tráfego…

4. Tráfego de Referência

Tipos de Tráfego de Referência

Se eu fizer um link do Fator W para o seu site e alguma pessoa clicar nesse link, você terá recebido um tráfego de Referência.

Aqui ficam agrupadas todas as visitas que se originam de outros sites, excluídos aqueles classificados como redes sociais.

O Tráfego de Referência é importante não apenas pelo volume de visitantes que pode trazer.

Ele também serve como um indicador que ajuda o Google a entender quais são as melhores páginas da internet.

Por exemplo, se 5 mil sites fazem um link para a minha página sobre Copywriting, é provável que o Google considere essa página mais relevante para o assunto do que outra página que tenha recebido apenas 5 links.

Aqui não importa apenas a quantidade, mas também a qualidade, como explico na aula sobre os mais de 200 fatores de posicionamento do Google para rankear uma página nos resultados da busca.

Se os 5 links que apontam para a outra página são de grandes e relevantes sites sobre Copywriting, ao passo que os 5 mil links que recebi vêm de sites de baixa qualidade, a outra página provavelmente ficará mais bem posicionada no Google.

5. Tráfego de Email

Tipos de Tráfego de Email

Sempre que você envia uma mensagem para a sua lista de emails com um link para o seu site, os visitantes que clicam nesse link são classificados como Tráfego de Email.

Da mesma forma, se alguém acha uma página do seu site interessante e manda o link para um amigo por email, esse visitante também será um Tráfego de Email.

Dentro de uma estratégia de marketing de conteúdo, o Tráfego de Email é um dos mais importantes tipos de tráfego, pois ele trará os chamados visitantes quentes.

6. Anúncios

Tipos de Tráfego Pago

Por fim, temos os anúncios.

Sempre que você paga ao Google Adwords para aparecer no topo dos resultados do buscador para determinada palavra-chave, está gerando tráfego de anúncio.

O mesmo vale para posts pagos em redes sociais como Facebook, Instagram, Twitter e YouTube.

Muita gente baseia toda sua estratégia de tráfego somente em anúncios. No entanto, o ideal é diversificar entre os seis tipos de tráfego para não ficar extremamente dependente de nenhum deles.

Como os anúncios não são baratos, você precisa enviar esse tráfego para uma página de alta conversão. Ou seja, para a página de captura que você criou na Tarefa #58.

Para onde você deve enviar seu tráfego

Tipos de Tráfego Envio

Nas Tarefas #57 e #58, você foi orientado a elaborar uma recompensa digital e disponibilizá-la em uma página de captura.

Agora, o que você precisa fazer é gerar tráfego para essa página e observar a conversão.

Sendo bem honesto, dificilmente vai ser possível posicionar bem uma página de captura nos resultados de busca do Google.

Isso porque os buscadores privilegiam páginas com conteúdo de alto valor. E uma página de captura praticamente não tem conteúdo, que fica todo na recompensa digital.

O que você deve fazer aqui é produzir conteúdos de valor para a sua persona e, nessas páginas de conteúdo, falar da recompensa digital e linkar a sua página de captura.

Além disso, claro, você pode e deve investir em anúncios diretamente para a sua página de captura.

Não se limite ao Google Adwords e ao Facebook Ads.

Você pode trazer grandes volumes de tráfego por meio de influenciadores (publieditoriais, collabs, afiliados etc.), comprando mídia diretamente em sites do seu nicho, explorando fontes como Taboola e Outbrain etc.

Em qualquer caso, você precisará ter clareza sobre a temperatura dos visitantes que chegarão à sua página de captura.

A temperatura dos seus visitantes

Tipos de Tráfego

No marketing de conteúdo, usa-se o jargão da temperatura para medir o quanto o seu visitante conhece o seu projeto.

  • Visitante Quente: é o que aparece na sua página de captura e já conhece você ou o seu projeto. Também se considera quente o visitante que, embora não o conheça, recebeu uma recomendação sobre você.
  • Visitante Frio: é a pessoa que não conhece você nem seu projeto, porém se sentiu atraída pela promessa do anúncio que leva à página de captura.

Obviamente, o visitante quente converte muito mais do que o frio. No entanto, os dois precisam ser trabalhados.

Cada vez mais é difícil atrair pessoas por meio de anúncios. Munidas de smartphones, elas escolhem que tipo de conteúdo querem ver.

Assim, a melhor forma de atrair visitantes para sua página de captura é oferecer informação, entretenimento ou conexões que o seu visitante perceba como conteúdo de valor.

Funcionam bem para isso 3 tipos de conteúdo, que podem ser produzidos em texto, vídeo, áudio ou imagem:

  1. Conteúdo de puro valor: apenas dá valor à sua persona, sem pedir nada em troca para explorar o gatilho mental da reciprocidade. Funciona para visitantes quentes e frios.
  2. Conteúdo de valor com convite: dá valor primeiro, como uma amostra grátis, e ao final faz um convite para a sua página de captura para se aprofundar no conteúdo. Também funciona para as duas temperaturas de visitantes.
  3. Conteúdo de puro convite: não mostra valor, simplesmente convida. Se você já tem um bom relacionamento, pode convidar sem nem dar uma amostra do conteúdo antes. Não funciona bem para visitante frio.

Produzindo esses 3 tipos de conteúdo e explorando os 6 tipos de tráfego, você já está pronto para triplicar as visitas do seu site.

E se você triplicasse as visitas do seu site?

Tráfego Triplo

A maioria das pessoas explora apenas dois tipos de tráfego, ou dois mitos de tráfego como prefiro chamar: o pago e o gratuito.

Como mostrei nesta aula, existe o triplo de tipos de tráfego que você pode explorar.

A partir de hoje, sua tarefa é começar a explorar esses 6 tipos de tráfego, montando uma máquina de gerar consumidores do seu conteúdo e de leads para o seu funil.

Para se tornar essa máquina, serão necessários basicamente três atitudes da sua parte:

  1. Aprender as ferramentas de tráfego: isso é feito basicamente estudando o manual de instruções da ferramenta e depois colocando a mão na massa para aplicar o que estudou, gerando dados que serão posteriormente analisados.
  2. Pensar em estratégias de tráfego: este segundo passo é feito parando para pensar, fora da ferramenta, quais são as estratégias que provavelmente levarão a sua persona a visitar o seu site, a sua loja, as suas redes sociais.
  3. Passar tempo aplicando nas ferramentas as estratégias que você pensou: o último passo é pegar a estratégia que você pensou e colocá-la em prática para testar, via análise de dados, se o que você pensou é ou não um meio eficiente de gerar tráfego para o seu projeto.

Nas próximas aulas do curso Presença Digital de Zero a Dez, veremos em detalhes como aplicar esses 3 passos em cada um dos seis tipos de tráfego.

E começaremos logo pelo Tráfego Orgânico, assunto de nossa próxima aula. Até lá!

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

4 comentários
  • Oi walmar,

    Desulpa, eu não entendi uma coisa: quando aparece que é tráfego de referência, isso inclui as redes sociais? O Analytics soma ou subtrai esses dois tráfegos?

    • O Analytics não mistura as duas categorias, Ana. O que vem de redes sociais é classificado assim e não entra na conta do tráfego que vem de referência (geralmente outras páginas, blogs e sites diversos que não são considerados redes sociais).