Como fazer um registro de domínio para o seu projeto na internet

Como fazer um registro de domínio para o seu projeto na internet

Registro de Domínio

Em aula anterior do curso Presença Digital de Zero a Dez, vimos que é essencial para você criar o seu hub digital, um site que funcione como uma central de todas as ações do seu negócio digital. Hoje vamos falar sobre registro de domínio.

O hub digital é o o ponto central para onde todos os canais de distribuição de conteúdo do seu projeto irão convergir. Ele ele precisa ter um endereço próprio na internet

Seu canal do YouTube vai apontar para lá. Seu blog vai estar lá. Sua fanpage no Facebook vai chamar para lá. Seus tweets terão links para lá.

Assim, o ideal é que você construa o seu hub em um terreno próprio, não em terreno alugado. E para isso você vai precisar do registro de domínio próprio.

Nesta aula vamos ver em detalhes:

  • O que é domínio
  • Qual a diferença entre registro de domínio próprio e “terreno alugado”
  • A questão do domínio .br versus domínio .com
  • A importância do registro de domínio para os mecanismos de busca
  • Como registrar um domínio

Como disse na última aula, estamos entrando agora em uma seara mais prática, depois de uma primeira etapa mais teórica (na qual vimos como escolher um nicho de mercado, criar uma persona, escolher um modelo de negócio e adotar um posicionamento de mercado diferenciado).

Preparado para colocar a mão na massa? Vamos em frente.

O que é domínio

Registro de domínio

Tecnicamente falando, domínio é o nome de um endereço na internet, que tem a função de direcionar uma pessoa para um determinado “local”.

Por trás dos panos, cada servidor na internet tem o seu endereço IP (Internet Protocol). É algo como 123.45.67.254.

Agora imagine se, toda vez que você quisesse acessar o seu site favorito, você tivesse que lembrar de uma sequência de números como essa.

Para evitar isso, existem os domínios, que relacionam nome a endereços. Por exemplo, o domínio “www.google.com.br” redireciona a pessoa que o digita para um IP específico.

Para o seu projeto, o que importa saber é que você necessita de um registro de domínio para ter um lugar para chamar de seu na internet.

E esse precisa ser um domínio próprio…

Qual a diferença entre registro de domínio próprio e “casa alugada”

Registro de domínio: sites

Alguns provedores e serviços de internet permitem que você crie sites, blogs e landing pages rapidamente.

Por exemplo, o Blogger. Em poucos minutos, você pode criar uma conta lá e ter o seu próprio blog no ar.

O problema é que esse seu blog ficará com um endereço do tipo nome-do-seu-site.blogger.com.

Embora esse seja um domínio, não é um domínio seu, mas sim do Blogger. Você vai criar todo o seu conteúdo ali, quem sabe até gerar uma legião de seguidores, tudo em um terreno “alugado”.

De uma hora para a outra, o Blogger pode falir. Ou mudar os termos de uso. Ou simplesmente apagar o seu blog inteiro alegando que você infringiu alguma norma.

Por isso o registro de domínio próprio é tão importante. Se você tem um endereço que é realmente seu, como www.nome-do-seu-site.com.br, você é quem manda.

A não ser que algum dia você esqueça de pagar a anuidade (que é muito barata), o domínio será seu para sempre.

Por isso que estamos colocando o registro de domínio logo no início do curso Presença Digital de Zero a Dez. Você deve, o quanto antes, pensar no nome do seu projeto e encontrar um domínio livre para ser registrado.

De preferência, você deve registrar o seu domínio com pelo menos duas terminações.

A questão do domínio .br versus domínio .com

Registro de domínio .com

O registro de domínio é composto de basicamente duas partes:

  1. O nome do seu projeto
  2. O domínio de primeiro nível, ou TLD (top level domain)

Voltando ao exemplo que demos do domínio www.google.com.br:

  1. google é o “nome do projeto”
  2. .com.br é o TLD

Existem diversos tipos de TLDs:

  • TLDs genéricos não-patrocinados (gTLDs): são os domínios internacionais, .com, .net, .org, .int, .arpa, .biz, .info, .name e .pro. Eles operam sem qualquer organização patrocinadora e normalmente possuem menos restrições para registro do que os TLDs patrocinados.
  • TLDs genéricos patrocinados (gTLDs): incluem .edu, .gov, .mil, .aero, .coop, .museum, .jobs, .mobi, .travel, .tel, .cat e .asia. Um TLD patrocinado é um domínio especializado com um patrocinador que representa a comunidade atendida por aquele TLD. Você não pode, por exemplo, registrar um domínio .museum se não comprovar que o seu site é de um museu.
  • TLDs dos países: são terminações de duas letras (.br, .ar, .mx, .uk, .de, etc.) que correspondem às abreviações oficiais com duas letras de mais de 250 países e territórios. Estes domínios são denominados TLDs com código de países ou ccTLDs, na forma abreviada. Cada um está relacionado a uma instituição de registro responsável pela operação do domínio de acordo com as políticas locais (por exemplo, para registrar um nome em alguns TLDs, você deve ser residente local).

Aqui no Brasil, como você deve saber, o TLD é .br. O endereço www.google.com.br é o endereço do Google no Brasil, mas ele também tem diversos outros domínios registrados.

Não é obrigatório que o seu registro de domínio seja feito no Brasil. Você pode muito bem ter apenas um domínio internacional (nome-do-seu-site.com, por exemplo), ou mesmo o registro em outro país.

Mas que domínio registrar?

Ok, agora que você já sabe como se compõe um domínio, vem a pergunta: que domínio registrar? O BR ou .com?

A resposta mais direta é: tantos quantos forem possíveis. Se você tem o nome do seu projeto e as terminações .com e .com.br estão disponíveis, registre os dois domínios.

Além de facilitar a vida da pessoa que busca o seu projeto (ela não precisa ficar adivinhando se o endereço tem ou não o .br), existem teorias de que a terminação do domínio influencia no posicionamento do seu site nos mecanismos de busca.

Uma dessas teorias diz que o .com é a melhor terminação para mecanismos de busca. Se ela não estiver disponível, o .net é a segunda melhor opção e o .org a terceira melhor.

A importância do registro de domínio para os mecanismos de busca

Registro de domínio e SEO

O Google e os demais mecanismos de busca utilizam um complexo algoritmo para tentar trazer à pessoa que faz uma busca o melhor resultado possíveis.

São centenas de fatores que influenciam no posicionamento do seu site nos mecanismos de busca, e o registro de domínio próprio e adequado é um deles.

Esses fatores de posicionamento não são revelados pelos mecanismos de busca, porém especula-se que se o seu domínio tem uma terminação .br, ele terá uma certa vantagem para buscas feitas no google.com.br.

Isso era mais forte antigamente, afinal hoje o próprio Google possui ferramentas para que o dono de um site diga em qual país aquele projeto se baseia.

Outro ponto importante, este ainda mais forte, é que a palavra-chave do seu nicho de mercado deve de certa forma estar presente no seu registro de domínio.

Por exemplo, se você escolheu o nicho de emagrecimento, o ideal é que termos como emagrecer, emagrecimento ou perda de peso possam figurar no seu domínio.

Um excelente exemplo disso é o projeto emagrecerdevez.com, sobre o qual já falamos neste curso.

Como registrar um domínio

Registro de domínio no Brasil

No Brasil, só existe uma entidade habilitada a registrar domínio: o Registro.br.

Para fazer um registro de domínio, basta acessar o site, procurar o endereço, cadastrar-se com seus dados pessoais (inclusive CPF) e pagar o preço.

Os preços não são altos, giram em torno de R$ 40 por ano.

O difícil, na verdade, é encontrar bons domínios disponíveis hoje em dia.

A não ser que você tenha um nome criativo para o seu projeto, boa parte dos outros termos já estão registrados. Se alguém já registrou um domínio, a única opção para você é negociar diretamente com essa pessoa para comprar o domínio dela (o que atualmente é vendido a peso de ouro).

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Outra opção é você adicionar uma palavra extra no domínio.

Por exemplo, se você está criando um site de receitas culinárias, não vai conseguir registrar o receitas.com.br, mas pode ser que consiga registrar receitasdaregina.com.br (se o seu nome for Regina…).

Uma coisa que muita gente faz é registrar o domínio utilizando hífens, mas isso não é recomendado, pois fica difícil de ditar para outras pessoas.

Para executar o registro de domínio .com, sem o .br, não existe uma entidade única. Eu, particularmente, costumo usar o name.com.

Uma dica valiosa: quando você contratar uma empresa de hospedagem, é provável que ela lhe ofereça um registro de domínio “grátis”.

Recomendo que você não registre o seu domínio dessa forma, pois você vai acabar ficando “refém” dessa empresa de hospedagem para sempre.

Lembre-se: você pode mudar de hospedagem sempre que quiser, mas se mudar de domínio, todo o seu trabalho de branding e otimização para mecanismos de busca volta à estaca zero.

Plano de Ação 2.2

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, sonhos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #8: Registre o seu domínio

A tarefa aqui é óbvia. Escolha um nome para o seu projeto, baseando-se no nicho de mercado escolhido, e registre o seu domínio.

Pesquise tanto no Registro.br quanto no Name.com. Se o domínio igual estiver disponível nos dois, registre ambos. Se não, registro pelo menos um.

Tarefa #9: Registre suas redes sociais

Com o nome escolhido e o domínio registrado, crie contas desde já em todas as maiores redes sociais disponíveis.

Mesmo que você não vá utilizar todas essas redes sociais no seu projeto, o ideal é que já reserve as contas, deixe sua marca lá, tenha um espaço garantido.

Para fazer isso, crie uma conta de e-mail exclusiva para o seu projeto (recomendo o Gmail) e crie as contas em sites como:

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Google+
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Vimeo
  • Tumblr
  • Snapchat
  • Periscope
  • Medium

Deixe uma mensagem inicial, mesmo que na descrição, avisando do que se trata e que estará no ar em breve. Se você já tiver a marca do seu projeto, utilize a imagem como avatar.

Mais para frente analisaremos o uso das redes sociais.

Na próxima aula do curso, falaremos sobre a arquitetura de informação do seu hub.

Até lá, deixe nos comentários as suas dúvidas sobre registro de domínio (ou qualquer outro ponto do curso).

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

14 comentários
  • Oi Walmar,
    Obrigado pelo conteúdo!
    Imagino que o ideal é registrar apenas nas redes sociais que serão utilizadas, correto?
    Abraço

    • Oi Alexandre!

      Eu registraria em todas as redes sociais, mesmo as que você não vá utilizar, só para garantir o seu nome de usuário lá. Por exemplo, eu não uso o Snapchat, mas registrei meu nome de usuário lá só para garantir. Quem sabe do futuro?

      Obrigado pelo comentário!

  • Olá Walmar, estou no blog memorável! Quero lancar o blog em marco. Estou assustada com essa história de ter um monte de redes sociais.Terei que compartilhar o blog com o meu trabalho atual até que o projeto despegue. Será mesmo necessário estar em várias redes? Me preocupa nao conseguir responder a todos. Voce poderia esclarecer um pouco como escolher as redes sociais indispensáveis? isso dependería do nicho, da persona ou de minha preferencia pessoal? Abrir uma conta antes do blog e deixar lá parado nao seria contraproducente? Aúnica rede que gosto é pinterest, porque é cheia de conteúdo interessante, e era a que pensava ter. Pensava ter boards com a mesma clasificacao do blog e pinear os posts lá também. Estou pensando certo? Outra opcao é criar um board com o nome do blog no meu perfil pessoal que tem 900 seguidores y dar pin aos posts nesse board. Qual a sua recomendacao?
    Obrigada pela atencao.

    • Oi Carla!

      Eu acho que você deve apenas registrar o seu nome de usuário nas diversas redes, mas não focar em estar em todas elas. Melhor focar no seu blog mesmo e quem sabe em uma rede que seja mais adequada para o seu nicho (geralmente Facebook, mas há nichos em que Twitter, Pinterest ou Instagram são até mais fortes).

      Abraços!

  • Olá Walmar, estou no blog memorável! Quero lancar o blog em marco. Estou assustada com essa história de ter um monte de redes sociais.Terei que compartilhar o blog com o meu trabalho atual até que o projeto despegue. Será mesmo necessário estar em várias redes? Me preocupa nao conseguir responder a todos. Voce poderia esclarecer um pouco como escolher as redes sociais indispensáveis? isso dependería do nicho, da persona ou de minha preferencia pessoal? Abrir uma conta antes do blog e deixar lá parado nao seria contraproducente? Aúnica rede que gosto é pinterest, porque é cheia de conteúdo interessante, e era a que pensava ter. Pensava ter boards com a mesma clasificacao do blog e pinear os posts lá também. Estou pensando certo? Outra opcao é criar um board com o nome do blog no meu perfil pessoal que tem 900 seguidores y dar pin aos posts nesse board. Qual a sua recomendacao?
    Obrigada pela atencao.

  • Olá Valmar!

    Preciso registrar um projeto do qual faço parte. A dúvida que ficou é a seguinte:

    – Por ser um projeto e para a criação de um site contendo informações dele eu preciso usar o domínio “.ORG”?

    – É verdade que eu preciso de uma liberação para o “.ORG”?

  • Oi Walmar, td bem?

    Estou gostando muito do seu curso e estou aprendendo muito.
    Me desculpa pela pergunta ser meio idiota, na verdade nem chega a ser uma pergunta, e mais uma dúvida pois não entendi a diferença entre hospedagem e domínio e nem achei nesse post algo que explique essa diferença.
    Você poderia esclarecer para mim por favor?

    Grata,

    • Sarah,

      Fazendo uma analogia com o mundo real, pense que o domínio é o endereço da sua casa. E a hospedagem é a sua casa propriamente dita.

  • Adorei as dicas.
    Tenho uma dúvida: o registro que adotamos no Brasil tem impacto no mercado mundial. Digo, adoto as mesmas regras. Que tipo de precauções devo tomar?

    • Catarina, basicamente são as mesmas regras. As precauções são as mesmas: registrar sob seu nome ou sob o nome da sua empresa em uma instituição confiável. No caso do Brasil, sempre fazer diretamente pelo Registro.br e não por algum intermediário.