10 formas fáceis de reaproveitar seu conteúdo e multiplicar sua audiência usando o marketing viral

10 formas fáceis de reaproveitar seu conteúdo e multiplicar sua audiência usando o marketing viral

Marketing Viral

Se você quer aproveitar melhor o seu conteúdo e atrair muito mais tráfego para o seu site, existe uma boa solução: o marketing viral.

Utilizado da maneira correta, ele pode mais do que duplicar a sua audiência reaproveitando todo o conteúdo que você já produziu.

Isso tudo sem precisar criar nada novo.

Você já imaginou transformar o conteúdo de um post em outros dez formatos que se espalham pela web e mantêm um fluxo de pessoas acessando continuamente seu projeto?

Em vez de passar horas quebrando a cabeça para criar novos conteúdos, você pode simplesmente aproveitar o que já tem e impactar a sua persona de diversas formas, gerando cada vez mais resultados.

Nesta aula, eu vou explicar passo a passo a última peça do processo de produção de conteúdo que estamos montando nesta terceira etapa da curso Presença Digital de Zero a Dez.

Continue lendo para saber:

  • Por que o marketing viral pode duplicar a audiência do seu site
  • O que é marketing viral: princípios e características
  • Como transformar o conteúdo que você já tem em um viral
  • 10 formatos para reaproveitar seu conteúdo e espalhar sua presença na web
  • Um roteiro prático para transformar o seu conteúdo na ordem correta

O primeiro passo é compreender a importância do marketing viral para a sua divulgação.

Por que o marketing viral pode duplicar a audiência do seu site

Por que fazer marketing viral

Responda rápido. Qual conteúdo você acha que terá mais acessos:

  • Um que foi divulgado apenas por você
  • Um que foi divulgado por você e compartilhado pelos seus amigos. E pelos amigos dos seus amigos. E pelos amigos dos amigos dos seus amigos…

Na aula anterior da curso, nós vimos em detalhes como divulgar um post na internet.

Embora eu tenha apresentado 20 lugares onde você pode divulgar o seu conteúdo, a verdade é que você sozinho nunca terá o poder de divulgação que uma massa de usuários tem na internet.

Pode investir o dinheiro que for. Pode usar as melhores técnicas. Pode até ser linkado por um grande portal.

Você sozinho nunca vai bater milhões de usuários.

É por isso que saber como usar as ideias do marketing viral é tão importante.

Um único conteúdo seu que viralize positivamente na internet pode mudar o patamar do seu projeto e consolidar sua presença digital da noite para o dia.

Se você tiver um hub digital bem montado e uma estratégia de conteúdo de qualidade, quem chegou por acaso ao seu site tem grandes chances de se tornar um seguidor fiel.

Assim, você tem que se esforçar para espalhar o seu conteúdo na web da melhor forma, utilizando os princípios dos conteúdos que costumam viralizar.

Mas, você sabe que princípios são esses?

O que é marketing viral: princípios e características

O que é marketing viral

Quando o termo marketing viral começou a se popularizar, surgiu entre os profissionais de comunicação uma piadinha.

A piada do cliente que liga para o publicitário e pede sem rodeios: ow, me faz um viral aí!

Seria muito bom (ou não) se houvesse uma fórmula certeira para criar uma peça que se espalhe rapidamente pela internet.

Acontece que o comportamento humano está longe de ser uma ciência exata. Então, algo que funciona bem hoje, pode não funcionar amanhã.

As maiores chances de espalhar o seu conteúdo na internet, portanto, é ater-se menos a fórmulas e atentar mais para os princípios do marketing viral.

Princípios como:

  • Espontaneidade: o conteúdo precisa ser compartilhado de forma natural, sem forçação de barra.
  • Emotividade: as pessoas compartilham um conteúdo movidas mais pela emoção do que pela razão.
  • Concisão: conteúdos de consumo rápido tendem a se espalhar com mais facilidade.
  • Simplicidade: o conteúdo precisa ser fácil, rápido e gratuito de se compartilhar. Qualquer popup, cadastro ou dificuldade de copiar pode acabar com sua estratégia.
  • Pertencimento: as pessoas compartilham conteúdos para formar seu próprio senso de pertencimento a determinado grupo, pensamento ou modo de agir.

O tipo de conteúdo que é compartilhado vai depender muito do público-alvo do seu nicho de mercado.

Enquanto alguns grupos tendem a espalhar mais conteúdos sérios, como uma forma de ativismo, outros preferem compartilhar dicas práticas ou memes.

Por isso, é importante conhecer bem a sua persona para produzir conteúdos com mais chances de compartilhamento.

Características comuns

Embora haja diferenças de acordo com o público-alvo, como regra geral existem algumas características estão quase sempre presentes no marketing viral:

  • Humor
  • Surpresa
  • Constrangimento
  • Utilidade prática
  • Originalidade e inovação
  • Provocação
  • Curiosidade
  • Listas e números

Atualmente, eu acrescentaria a palavra mobilidade como uma das características mais importantes.

Se o seu conteúdo não é bem consumido em um smartphone qualquer, então o potencial de viralização dele cairá consideravelmente.

As ideias originais de Seth Godin

Em 2007, Seth Godin – um dos maiores nomes do marketing de conteúdo e um grande contador de histórias – deu uma palestra no TED sobre marketing viral, um assunto então bastante incipiente.

Godin escreveu três anos depois o livro Marketing Ideia Vírus (Unleashing The Idea Virus, no original).

Apesar de estar ultrapassado em alguns aspectos (especialmente nos exemplos), o livro ainda explica bem os princípios e características do marketing viral.

Com essas informações em mente, vamos ver como reaproveitar o conteúdo que você já tem em outros formatos.

Como transformar o conteúdo que você já tem em um viral

Como reaproveitar conteúdo

Nesta etapa de Produção de Conteúdo do curso Presença Digital de Zero a Dez, nós vimos como criar um texto de altíssima qualidade para o seu site.

Para isso, analisamos detalhadamente itens como:

  1. Planejamento do conteúdo
  2. Pesquisa de palavras-chave e análise do que já existe na internet
  3. Definição da história a ser contada
  4. Estruturação do post em tópicos e subtópicos
  5. Redação de introdução, desenvolvimento e conclusão
  6. Criação do título
  7. Ilustração com imagens, vídeos e/ou infográficos
  8. Revisão pré-publicação e pós-publicação
  9. Divulgação do post

Todo o trabalho árduo que você já teve para criar esse conteúdo pode ser reaproveitado de outra forma.

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Você pode transformar o conteúdo desse mesmo post em: áudios, vídeos, imagens, slides, infográficos, aplicativos, quizzes, games, webinários etc.

O texto é a base de tudo. A partir dele, você pode derivar o seu conteúdo para os formatos que achar mais adequado.

Com isso, pode garantir um fluxo constante de publicações nas redes sociais. E, caso eles sejam compartilhados, terá uma audiência cada vez maior no seu hub.

Essa, aliás, é a ideia principal do hub. Um site que sirva como a sua “central” na internet, para onde você manda todo o tráfego da sua presença on-line.

O casamento com o marketing de conteúdo

Pelo potencial que o marketing viral tem, ele se casa perfeitamente com os princípios do funil de marketing de conteúdo.

Em outras palavras, você vai quebrar o seu conteúdo mais denso (o texto original) em pedaços menores e de mais fácil consumo.

Esses pedaços serão espalhados pelas redes sociais e tendem a trazer mais gente para o seu site.

Lá, as pessoas que realmente se interessarem pelo conteúdo que você tem a oferecer vão se tornar seus seguidores.

E é com esses seguidores que você vai se relacionar para gerar valor e, mais à frente, obter retorno.

Sendo assim, vamos ver os 10 formatos para reaproveitar seu conteúdo e espalhar sua presença na web.

10 formatos para reaproveitar seu conteúdo e espalhar sua presença na web

Marketing viral

Vamos ver agora os 10 principais formatos para reaproveitar o seu conteúdo.

Embora possa parecer intimidador de início, lembre-se de que a parte mais difícil você já fez.

O conteúdo já está pronto, restando apenas a adaptação.

O que você nunca pode se esquecer é de sempre linkar para o seu conteúdo original, pois de outra forma toda a ideia do hub vai por água abaixo.

Aos formatos, então.

1. Outros textos

Um texto virar outro texto? Como assim?

É bem simples. Você pode pegar o texto que já produziu para o público do seu site e derivá-lo para a audiência de uma outra plataforma.

Tudo o que tem a fazer é adaptar linguagem e estilo para os mais adequados à nova plataforma.

Por exemplo, você pode reescrever parte do texto e publicar no Facebook. Ou criar um conteúdo mais aprofundado e divulgar no Medium. Ou mais curto para publicar no Tumblr.

Pode focar determinado ponto profissional e publicar no Linkedin. Ou gerar um PDF e jogar no Scribd. Ou criar um ebook e divulgar em redes de nicho.

Além de ser a forma de derivação mais fácil, esse também é um excelente exercício para aprimorar a sua capacidade de escrita.

2. Vídeos

Vídeo Viral

Já falei sobre a importância dos vídeos na aula sobre Por que usar vídeos na sua estratégia de marketing de conteúdo.

Não vou me repetir aqui, mas apenas relembro a dica de utilizar o seu texto como base para o roteiro do vídeo.

E de sempre incorporar o vídeo no seu post original.

3. Áudios e podcasts

Além de vídeo, você também pode transformar o seu conteúdo em áudio e publicar em sites como Soundcloud ou disponibilizar o arquivo MP3 para download.

Se fizer isso constantemente, você pode até criar um podcast.

Um podcast é uma espécie de “programa de rádio” na internet. Em regra, ele tem uma periodicidade específica e é distribuído por meio de feeds RSS.

Assim, quem tem um aplicativo para podcasts (os smartphones atuais já vêm com um) pode assinar o seu programa e receber automaticamente cada novo episódio.

4. Imagens

Imagens virais

Aqui não se trata de utilizar as imagens com as quais você ilustrou o seu post original.

A ideia é criar novas imagens que passem a mensagem do seu conteúdo original, ou de parte dele.

Você pode selecionar uma frase que tenha escrito ou mesmo uma citação que tenha usado.

Depois, é só aproveitar as imagens criadas para publicar no Instagram, no Facebook, no Pinterest e em outras redes sociais.

5. Infográficos

Também é possível transformar dados, roteiros, estatísticas e outras informações do tipo em infográficos.

Conforme explicado na aula sobre Como fazer um infográfico mesmo sem saber nada de design, esse formato de conteúdo tende a ser bastante compartilhado.

6. Slides

Slides virais

Uma forma prática de resumir o seu conteúdo de forma bastante visual e sucinta é transformando-o em uma apresentação de slides.

Isso pode ser feito em programas como PowerPoint e similares, reaproveitando partes do seu texto e das imagens originalmente utilizadas.

Depois, você pode compartilhar no Slide Share e incorporar em redes como Linkedin e Facebook.

Se você não gosta de aparecer em vídeos, a apresentação em slides também é uma boa forma de gravar vídeos sem mostrar a cara.

7. Webinários ou Lives

Já pensou em se reunir, em vídeo, com seus seguidores e discutir ao vivo o tema do conteúdo que acaba de publicar?

Atualmente, é bem fácil transmitir vídeos ao vivo no YouTube, no Facebook e agora até no Instagram.

Você só precisa de um smartphone e uma boa conexão com a internet.

Transmitir vídeos ao vivo é importante para criar autoridade junto ao seu público e gerar uma forte conexão com seus seguidores.

Provavelmente você não terá muitos espectadores no início.

Aproveite isso para interagir mais com os que aparecerem e conhecer mais de perto as dores e desejos do seu público-alvo.

8. Quizzes

Como fazer quiz

Você já respondeu aquelas pesquisas do tipo Quem é você em Game of Thrones?

Se sim, é provável que tenha ficado tentado a compartilhar os resultados nas redes sociais.

Esse é o poder de viralização dos quizzes, chamados por alguns também de enquetes. Algo que faz sucesso desde os tempos da revista Capricho.

Um quiz aumenta a interação do usuário com o seu conteúdo e, se for bem feito, pode gerar bastante compartilhamento.

Infelizmente, os melhores não são muito simples de fazer. Mas é um formato para se ter em mente, caso seja relevante para o seu público.

Aliás, os três últimos itens desta lista são os mais difíceis de se produzir para um site independente.

9. Games

Da mesma forma como os quizzes, os games – mesmo os mais simples – permitem uma boa interação com o conteúdo.

No entanto, também com os quizzes, eles são mais difíceis de produzir, geralmente requerendo a contratação de um programador.

Um exemplo é o podcast 99 Vidas, que acabou se tornando um game de mesmo nome, tendo os apresentadores como personagens.

10. Aplicativos

Apps virais

Por fim, se o seu conteúdo for realmente relevante, você pode pensar em criar um aplicativo para ele.

Por exemplo, se você está no nicho de saúde e fitness e publica uma tabela nutricional, pode ser útil transformá-la em um aplicativo simples para o seu público ter sempre no celular.

Este formato não é dos mais simples, mas pode valer a pena se o seu conteúdo for útil ao ponto de manter sempre contato com a sua marca.

Um excelente exemplo no Brasil de uso de aplicativo é o app lançado pelo Jovem Nerd, que antecipa podcasts, vlogs e conteúdos para o público mais fiel.

Um roteiro prático para transformar o seu conteúdo na ordem correta

Checklist de reaproveitamento de conteúdo

Como você pode ver, as possibilidade de reaproveitamento do seu conteúdo são imensas.

O que você precisa definir é um roteiro prático, ajustado às suas necessidades, para a transformação do seu conteúdo.

Da mesma forma como definiu um processo criativo para os seus textos, deve fazer o mesmo para os demais conteúdos.

Checklist de transformação de conteúdo

A vantagem do reaproveitamento de conteúdo é que você não precisará repetir toda a fase de definição de tema, pesquisa de palavras-chave e criação do conteúdo.

Aqui vai um roteiro prático para você se inspirar e adaptar ao seu projeto:

  1. Reescreva o seu texto (ou um tópico dele) em linguagem mais informal, mais próxima da linguagem falada, acrescentando as características do marketing viral
  2. Publique esse novo texto em PDF no Scribd ou em redes como Facebook, Tumblr ou Medium
  3. Usando esse novo texto como roteiro, crie um curso de imagens e as ordene em uma apresentação de slides
  4. Publique a sua apresentação no SlideShare
  5. Espalhe a publicação das suas imagens durante vários dias no Instagram, Pinterest e Facebook
  6. Grave um vídeo lendo o texto mais informal e ilustrando com a apresentação de slides
  7. Publique o vídeo no YouTube e no Facebook
  8. Incorpore o vídeo do YouTube no seu post original
  9. Extraia o áudio do vídeo e edite o que não fizer sentido. Acrescente abertura e encerramento se necessário.
  10. Publique o áudio no SoundCloud ou, se definir uma periodicidade, crie um podcast para os seus áudios no PodBean
  11. Envie uma mensagem para sua lista de emails marcando uma transmissão ao vivo no YouTube ou no Facebook para vocês discutirem o assunto do post. Divulgue também nas suas redes sociais

Aumente o potencial de compartilhamento

Nesses conteúdos derivados, destaque as partes do seu texto que contenham as características do marketing viral.

Em outras palavras, invista em listas, humor, dicas práticas, surpresas, polêmicas etc.

Pense sempre: meu público-alvo compartilharia esse conteúdo?

Você pode até fazer um conteúdo mais “raso”, que tenha um potencial de viralização maior. A boca inicial do funil de marketing de conteúdo é a mais larga, aceita muita gente.

Mas nunca se esqueça de colocar o link para o seu post original, nem que seja na descrição do conteúdo postado. Assim, da quantidade de pessoas que chegarem ao seu site, algumas vão acabar virando seus seguidores.

Fazendo disso uma rotina, em breve você vai ver os números do seu site crescerem constantemente. Sem precisar quebrar a cabeça pensando em novos temas.

Plano de Ação 3.14

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, projetos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #39: Defina o checklist de reaproveitamento do seu conteúdo

Utilizando o exemplo de roteiro que acabei de dar, defina o seu próprio checklist de reaproveitamento de conteúdo.

Exclua o que não faz sentido para o seu público-alvo e o que você não tem capacidade de produzir no momento.

Inclua alguma derivação que acredita ser relevante e fácil de se produzir.

Tarefa #40: Transforme o seu post em outros formatos

Agora pegue o checklist que acabou de definir e transforme o post que produziu entre as Tarefas #20 e #36.

No começo, é mais difícil fazer as transformações. Especialmente se você não tem habilidades com edição de imagens, vídeos e áudios.

Com a prática, no entanto, a coisa vai ficando mais fácil. Se preferir, você sempre pode terceirizar essa parte, encontrando freelancers em sites como Get Ninjas ou Fiverrr.

Este é o último passo do nosso processo de criação, divulgação e multiplicação de conteúdo.

Na próxima aula do curso, vamos fazer uma revisão completa do processo e divulgar o checklist final com todo o passo a passo.

Se tiver alguma dúvida sobre marketing viral ou o processo de reaproveitamento de conteúdo, deixe um comentário abaixo.

Bibliografia deste artigo

Livro #30: Ideias que colam

Ideias que colamIdeias que colam, de Chip Heath e Dan Heath, é um livro que procura entender por que algumas ideias se propagam, enquanto outras caem no esquecimento.

Os autores falam sobre por que algumas vezes ter conhecimento sobre determinado assunto é ruim para quem quer produzir conteúdos, por que os ditados se fixam tanto nas nossas mentes e os tipos de autoridade que melhor transmitem suas mensagens.

Este não é um livro especificamente sobre marketing viral. Mas, combinado com o livro #29 (Contágio), ele pode dar uma boa ideia de como tornar o seu conteúdo extremamente compartilhável.

A edição em português está esgotada há algum tempo, então você pode procurar também pelo original Made To Stick.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

4 comentários
  • Você costuma reaproveitar o seu conteúdo? De que forma? Que sugestões tem para dar? Vamos continuar a discussão aqui nos comentários…

  • Adoro os posts! Me ajudam muito! Leio todos!

    Queria tirar uma dúvida particular sobre reaproveitar conteúdo.

    Gostaria de saber se tem algum e-mail que posso enviá-la.

    Obrigada

  • Design não é apenas o que se vê e o que se sente. O design é sobre como funciona. Faça do cliente o herói da sua história. As pessoas certas para começar um vídeo blog são aquelas que têm paixão por contar historias.

    parabens pelo conteudo