4 passos estratégicos para criar um Plano de Marketing Pessoal e ser visto como um profissional diferenciado

4 passos estratégicos para criar um Plano de Marketing Pessoal e ser visto como um profissional diferenciado

Marketing Pesseal

Existem dois tipos de pessoas no mundo. As que trabalham o próprio marketing pessoal e as que não suportam bem esse tipo de autopromoção.

De qual grupo você faz parte?

A maioria das pessoas tende a se encaixar no segundo grupo. Inclusive eu, tenho que confessar.

No entanto, se você está acompanhando o curso Presença Digital de Zero a Dez e tem interesse em ganhar a vida fazendo o que gosta, precisa deixar o preconceito de lado e começar a dar mais atenção ao seu marketing pessoal.

Nesta aul\, veremos como fazer isso sem se tornar um mala. Para tanto, estudaremos em detalhes:

  • Por que marketing pessoal é fundamental para uma estratégia de relacionamento
  • O que é marketing pessoal
  • Como aplicar o marketing pessoal em um projeto na internet
  • Plano de marketing pessoal ou agir naturalmente, qual o melhor caminho?
  • Como fazer um plano de marketing pessoal em 4 simples passos
  • Investir em marketing pessoal ou na marca da empresa?

Ao final da aula, você terá tudo de que precisa para traçar um Plano de Marketing Pessoal para você dar mais um passo no objetivo de criar presença digital e assim transformar o seu hobby em um negócio baseado na internet.

Por que marketing pessoal é fundamental para uma estratégia de relacionamento

Por que marketing pessoal

Você imaginaria que um médico urologista do Rio Grande do Sul poderia se transformar em uma das maiores autoridades do Brasil quando o assunto é dieta low carb?

Isso aconteceu com o Dr. José Carlos Souto, do site Ciência Low Carb.

Sem fazer nenhum tipo de autopromoção escancarada, até pelas restrições de sua profissão, o Dr. Souto é um grande exemplo de marketing pessoal bem sucedido.

Ele começou com um simples site hospedado no Blogger, em que discutia evidências científicas sobre certos tipos de dieta.

A qualidade do conteúdo fez com que o blog crescesse. Sempre solícito em responder seus seguidores, o Dr. Souto começou a ganhar uma legião de admiradores.

Gerando valor e resultados práticos para as pessoas, começou a ser chamado para participar de palestras e de um podcast que se tornou o maior do Brasil na área de saúde.

Assim, sem apelação e com um trabalho consistente e de qualidade, tornou-se uma autoridade em seu nicho de atuação.

E quais as consequências disso?

As consequências de um marketing pessoal bem-feito

Personal Marketing

O exemplo do Dr. Souto deixa claro os resultados que um bom marketing pessoal pode trazer para a sua carreira.

Entre os principais benefícios, estão:

  • Ser percebido como uma autoridade no seu nicho
  • Ser lembrado quano o seu público-alvo quiser obter um serviço ou comprar um produto
  • Ser chamado para entrevistas, palestras e outros eventos
  • Ser referenciado na internet e assim obter mais tráfego orgânico para o seu hub digital
  • Poder cobrar mais por seus serviços ou obter um aumento salarial

Se você pesquisar sobre como fazer marketing pessoal na internet, encontrará diversas estratégias, técnicas e hacks.

Quase todas tentam encontrar atalhos para o que é o fundamento do marketing pessoal: oferecer um trabalho de qualidade, relevante para o seu público-alvo e consistente ao longo do tempo.

Falarei sobre esses três pilares do marketing pessoal mais à frente. Antes, vejamos qual a definição exata da expressão.

O que é marketing pessoal

O que é marketing pessoal

Todos nós temos uma ideia do que seja marketing pessoal.

No entanto, quase sempre se trata de uma ideia vaga, que não define a expressão com exatidão.

Para suprir essa lacuna, fui buscar algumas definições entre acadêmicos e profissionais da área. Começando pelo papa Philip Kotler e sua definição de marketing:

Marketing é um processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros

Especificando para o assunto desta aula, Mario Persona deu a seguinte definição em entrevista para o site Mundo do Marketing:

Marketing pessoal é um conjunto de ações que ajudam uma pessoa a obter maior sucesso em sua vida pessoal, nos relacionamentos e no trabalho.

É uma forma de você agregar valor a si mesmo por meio de uma observação sistemática do ambiente onde você atua, das expectativas que as pessoas têm de você, e podemos até chamá-las de “clientes”, e da melhor maneira de atender a essas expectativas com um comportamento adequado.

Por fim, Ricardo Mello conceitua esse tipo de marketing estruturando-o no que ele chama de ferramentas básicas, que devem ser usadas em conjunto:

  1. Conteúdo
  2. Comunicação
  3. Credibilidade
  4. Aparência

Tais ferramentas devem ser utilizadas para fazer com que a sua persona enxergue aquilo que você já possui.

E é assim que você deve aplicar o seu marketing para o propósito do curso Presença Digital de Zero a Dez.

Como aplicar o marketing pessoal em um projeto na internet

Como fazer marketing pessoal

Neste curso, estou explicando passo a passo como você pode utilizar estratégias para criar um hub digital, tornar-se uma autoridade em um nicho de mercado e depois oferecer produtos ou serviços a esse público.

Se você realizou a Tarefa #5 corretamente, já definiu um posicionamento de mercado para o projeto que está criando.

E, se executou também a Tarefa #48, já tem um mapa de empatia que mostra exatamente o que o seu público-alvo valoriza.

Juntando um mais um, tudo o que você tem a fazer agora é aplicar as ferramentas básicas de Mello para atuar de forma a fazer com que o seu público o enxergue com o posicionamento que você adotou.

  1. Conteúdo: ter um processo de criação de conteúdos definido e um calendário editorial consistente para divulgar na internet o que você sabe.
  2. Comunicação: saber como transmitir o conteúdo que você gerou de forma efetiva, elaborando textos agradáveis de ler, vídeos de qualidade, infográficos atraentes etc.
  3. Credibilidade: mostrar referências, formação, aparições na imprensa, participação em eventos, resultados práticos ou qualquer outro tipo de prova social que o credencie para falar sobre o assunto do nicho.
  4. Aparência: cuidar da sua própria imagem e do visual dos seus conteúdos que você publica na internet, de forma a reforçar sua presença digital.

Como você pode perceber, uma estratégia de marketing pessoal requer um comportamento cotidiano que reforce o posicionamento desejado.

Fazendo isso, você poderá construir a sua marca pessoal.

A sua marca pessoal

Marca pessoal

No início da aula, falei sobre alguns dos benefícios trazidos pelo marketing pessoal. Tais benefícios incluem você ser percebido como uma autoridade no seu nicho e poder lucrar com isso.

Existe, todavia, outra consequência de um marketing pessoal bem-feito. A criação de uma marca pessoal (personal branding).

Assim como produtos bem posicionados no mercado costumam ter uma boa marca a eles associadas, os profissionais que fazem marketing pessoal de forma consistente também acabam “marcados”.

Em resumo, ter uma marca pessoal significa diferenciar-se, na percepção do seu público-alvo, de outros profissionais do seu nicho de mercado.

Sua marca pessoal deve comunicar o que outras o seu público pode esperar de você. Deve reunir as características e valores que fazem de você um profissional único naquele segmento de mercado.

Mas, como fazer isso?

Plano de marketing pessoal ou agir naturalmente, qual o melhor caminho?

Personal Branding

Basicamente, existem duas formas de se fazer marketing pessoal. E elas dependem muito da similaridade entre a sua personalidade natural e o seu posicionamento desejado.

Se há similaridade, você não precisará de muita estratégia. Basta agir naturalmente e focar nos três pilares que falei mais acima: oferecer um trabalho de qualidade, relevante para o seu público-alvo e consistente ao longo do tempo.

Retomando o exemplo do Dr. Souto, que abriu esta aula.

Neste caso, vemos que se trata de um profissoinal que já domina o conteúdo de um nicho específico.

Que sabe se comunicar por texto, áudio e vídeo.

Que tem a credibilidade de ser um médico com resultados comprovados.

E que tem uma aparência (pessoal e de suas publicações) alinhada com o que as pessoas esperam de um médico.

Quando há similaridade entre o que você já é e como você deseja ser percebido, o marketing pessoal acaba acontecendo naturalmente, desde que você oferça com consistência para o seu público um trabalho de qualidade.

Entretanto, quando a sua personalidade natural e o posicionamento desejado são muito desconexos, você precisará traçar um plano de marketing pessoal.

Como fazer um plano de marketing pessoal em 4 simples passos

Plano de marketing pessoal

Um plano de marketing pessoal nada mais é do que uma estratégia para aproximar a sua imagem de como você deseja ser percebido no mercado.

Por exemplo, se você quer ser percebido como uma autoridade no mercado de bodybuilders profissionais, dificilmente terá credibilidade se tiver a aparência de uma pessoa muito magra ou muito gorda.

Se quer ser percebido como uma autoridade como escritor, jamais conseguirá se produzir textos com erros crassos de português.

A estratégia, portanto, consiste em simplesmente diminuir a dissociação entre a imagem que você tem e a imagem pela qual você quer ser percebido.

Para isso, você pode seguir os seguintes passos básicos:

1. Defina como você quer ser visto, de acordo com o brand key preenchido

Como fazer um plano de marketing pessoal

O primeiro passo é definir como você quer ser percebido no seu nicho de mercado. Qual imagem você quer ter?

Para isso, utilize o brand key que você já deve ter preenchido na
Tarefa #5 e analise o que a sua persona valoriza de acordo com o mapa de empatia que fez na Tarefa #48.

Você também pode fazer um benchmarking entre profissionais do seu nicho (ou de mercados similares) que tenham o posicionamento que você deseja adotar.

Benchmarking é o ato de identificar algumas empresas ou profissionais que são excelentes em algum aspecto e copiar ou adaptar as práticas que os tornaram bons naquilo.

Sabendo aonde você quer chegar, o segundo passo é saber onde você está.

2. Esclareça qual é a sua imagem atual

Como traçar um plano de marketing

Agora que você já sabe o seu objetivo, precisa saber o seu ponto de partida.

Qual a imagem que você tem junto a si mesmo? E qual a imagem pela qual é percebido no seu mercado?

A primeira pergunta você pode responder com uma reflexão sincera sobre quem você é, quem você diz que é e quem você deseja ser.

A segunda você pode responder perguntando à sua audiência, se você já possui uma, ou questionando amigos, colegas de trabalho e outras pessoas que com você convivem.

3. Liste o que você precisa fazer para reduzir a distância entre os dois pontos

Ações de marketing

Por fim, faça um brainstorming e liste tudo o que você precisa fazer para reduzir a distância entre a sua imagem atual e o seu posicionamento desejado.

Separe as ações que você precisa tomar de acordo com as ferramentas básicas definidas por Mello:

  1. Conteúdo
    • Que tipo de conteúdo essa pessoa que eu quero ser publica?
    • Sobre quais assuntos ela trata?
  2. Comunicação
    • Quais formatos de conteúdo ela explora?
    • Que tipo de vocabulário utiliza e qual não utiliza?
  3. Credibilidade
    • Que tipo de formação acadêmica ela tem?
    • Que cursos fez?
    • Que resultados práticos apresenta?
    • Ela aparece na imprensa, em eventos, dá palestras?
  4. Aparência
    • Qual o visual dessa pessoa?
    • Como ela se apresenta?
    • Como é o design dos conteúdos que ela publica na internet?

Ter um blog próprio, ser ativo em redes sociais relevantes, participar de grupos e fóruns, frequentar palestras e eventos são algumas das atividades que podem fazer parte da sua lista de ações.

4. Execute o que planejou

Execução do plano de marketing

O quarto passo é óbvio, mas não o subestime. Você precisa executar o que planejou.

Isso significa publicar consistentemente conteúdo relevante para o seu público-alvo, seguindo um calendário editorial.

Significa saber se comunicar com esse público de forma efetiva.

Significa buscar credenciais que façam esse público o enxergar como uma autoridade no assunto.

Significa ter a aparência esperada por essas pessoas.

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Se você está seguindo atentamente o curso Presença Digital de Zero a Dez, já tem em mãos muito do que precisa para executar essa estratégia.

Não caia no erro, portanto, de planejar sem executar. Um plano de marketing pessoal de nada vale se for apenas um documento guardado no seu computador.

Uma última pergunta: investir em marketing pessoal ou na marca da empresa?

Marketing pessoal ou branding

Antes de concluir, você precisa definir se é melhor investir no seu marketing pessoal ou na marca da empresa.

Isso depende muito do modelo de negócio que você adotou na Tarefa #4.

Existe um clichê na área de marketing direto de que pessoas preferem comprar de pessoas. E isso é verdade quando estamos tratando de um nicho específico em um negócio ainda pequeno.

No entanto, se a ideia é ter um negócio mais escalável, talvez não seja interessante ter a figura de uma pessoa como líder daquele projeto.

Empresas inicialmente muito ligadas a uma figura, como a Apple, a Tesla ou a Disney, podem ter desafios extras quando essa pessoa morre ou se retira.

Para o que estamos construindo neste curso, é provável que investir em marketing pessoal seja mais efetivo para a maioria.

Ainda assim, a estratégia também pode ser utilizada para construção de marcas independentes de uma figura humana. E esse será o tema da nossa próxima aula, sobre branding.

Plano de Ação 4.3

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, projetos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #50: Crie o seu plano de marketing pessoal

Caso você decida basear o seu negócio digital na figura de uma pessoa, sua tarefa agora é criar um plano de marketing pessoal.

Para isso, siga os quatro simples passos explicados nesta aula:

  1. Defina como você quer ser visto
  2. Esclareça qual é a sua imagem atual
  3. Liste o que você precisa fazer para reduzir a distância entre os dois pontos
  4. Execute o que planejou

Caso você prefira fortalecer uma marca institucional em vez de uma marca pessoal, fique de olho na próxima aula do curso, quando falaremos sobre estratégias de branding.

Até lá, deixe suas dúvidas nos comentários que terei o maior prazer em responder.

Bibliografia deste artigo

Livro #33: The Road to Recognition

Livro The Road to Recognition - Marketing PessoalExistem dezenas de livros sobre marketing pessoal, personal branding e “liderança” no mercado.

Eu gostaria de indicar um chamado The Road to Recognition: The A-to-Z Guide to Personal Branding for Accelerating Your Professional Success in The Age of Digital Media.

Nele, os autores Seth Price e Barry Feldman analisam o marketing pessoal aplicado a estratégias de conteúdo na internet, listando elementos de A a Z que compõem uma marca pessoal.

Ainda não há edição brasileira, mas se você quiser ter um gostinho do que existe no livro, esses são os capítulos:

  • A para Autenticidade
  • B para Blog
  • C para Conteúdo
  • D para Design
  • E para Email
  • F para Fãs
  • G para Google
  • H para Helping (Ajudar)
  • I para Influenciadores
  • J para Joining (Participação)
  • K para Keywords (Palavras-chave)
  • L para Linkedin
  • M para Mídia
  • N para Network
  • O para Ofertas
  • P para Podcast
  • Q para Questionamentos
  • R para Reconhecer os outros
  • S para Speaking (Palestras)
  • T para Target (Público-alvo)
  • U para Único
  • V para Vídeo
  • W para Website
  • X para eXaminar
  • Y para “You Do List”
  • Z para Zelo

Como dá para perceber, muito do que os autores falam casa com a estratégia que estamos seguindo no curso Presença Digital de Zero a Dez.

Fica a dica, então, para leitura.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos