Televisão expande interatividade para além do sim ou não

Muita gente fala que um dos grandes atrativos da TV digital será a interatividade. Há algum tempo já, desde a explosão da internet comercial no Brasil, os canais de televisão exploram de um maneira rudimentar as possibilidades de interatividade através da web e do telefone. Geralmente isso não passa do comentário do internauta no jogo do Galvão Bueno ou um sim ou não em uma enquete de um telejornal qualquer.

Alguns programas com mais liberdade de ousar, no entanto, aproveitam a internet para aumentar a comuincação com o público. Aqui em Pernambuco, o Estereo Clipe usa – além do blog – uma estratégia interessante: tem um MSN Messenger para comunicação com os telespectadores.

O programa fala sobre música e os dois apresentadores, enquanto conversam com os entrevistados, ficam no MSN batendo papo com quem está no mensageiro mais usado do Brasil. Claro que isso só é possível por se tratar de um canal local. Em um Caldeirão do Huck, por exemplo, provavelmente seria inviável responder as mensagens com um mínimo de eficiência.

No Pânico na TV a interatividade também passa das enquetes telefônicas. Há algumas semanas, um helicóptero do programa sobrevoava São Paulo para dar ingresses do show do U2 para quem, no solo, fizesse a manifestação mais interessante. Até uns operadores de vôo de algum aeroporto entraram na onda exibindo placas e dançando para as câmeras do helicóptero.

O Homem Berinjela, um viral televisivo?

Ainda no Pânico, a figura do Homem Berinjela ganhou a boca do povo sem nenhuma ferramenta de marketing especial. Para quem não sabe, o personagem nada mais é do que um cidadão com uma berinjela na cueca que passeia pelas ruas falando ao celular e fazendo todo mundo olhar para aquele volume desmesurado na região pubiana.

A música do Homem Berinjela (Because I Got High, do Afroman) já se espalha pela internet com velocidade impressionante. Na 25 de Março, em São Paulo, os camelôs já vendem o kit do Homem Berinjela: sunga, corrente, celular, CD com a música e, claro, uma berinjela. Promete ser sucesso no Carnaval.

O pessoal do Pânico, aproveitando o sucesso inesperado, mudou a promoção para dar o ingresse do U2 e chamou os telespectadores para levarem uma berinjela para a sede da emissora. Quem levasse a berinjela mais pesada, levava um par de ingresses, que custavam R$ 250,00 cada no início das vendas e no mercado negro dos cambistas já chegava aos R$ 2 mil.

Resultado? Uma fila de vários quarteirões de gente com uma berinjela na mão e os ingresses para um cidadão de chapéu de palha na cabeça com uma berinjela de mais de 600 gramas. Bem mais divertido e interessante do que o comentário do internauta no jogo do Galvão.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

19 comentários