O que 31 grandes blogs podem nos ensinar sobre como hospedar um site (e-book grátis!)

O que 31 grandes blogs podem nos ensinar sobre como hospedar um site (e-book grátis!)

Como hospedar um site

Você sabe como hospedar um site de modo a maximizar sua presença na internet?

Você já tentou acessar um site ou blog só para ficar com raiva de tanto que ele demora para carregar?

Se no mundo físico, um ponto comercial bem localizado é um dos maiores ativos de um comércio, no mundo virtual saber bem como hospedar um site é algo equivalente.

Milhares de pessoas no Brasil tentam iniciar um negócio digital hospedando seus sites em servidores gratuitos. Ou, pior, pagando empresas que têm desempenho inferior até mesmo do que as gratuitas.

Na aula anterior do curso Presença Digital de Zero a Dez, mostrei como você pode instalar um blog no seu próprio computador. Agora é a hora de escolher uma hospedagem para enviá-lo para a internet.

Continue lendo esta aula sobre como hospedar um site para saber:

  • O que é hospedagem de site e por que ela pode ser o diferencial para o seu negócio digital
  • Os 4 principais tipos de hospedagem e como escolher o mais adequado para você
  • 3 erros estúpidos que você comete ao tentar hospedar um site e que te fazem parecer um amador
  • As 9 perguntas que você precisa se fazer agora para saber como hospedar um site
  • Minha experiência com um site de alto tráfego: por que fui hospedar o meu site na França!

Ao final da aula, você vai poder baixar um relatório gratuito que mostra onde 31 grandes blogs e sites independentes do Brasil estão hospedados.

Assim, você vai chegar ao final sabendo não apenas a teoria sobre como hospedar um site. Mas também conhecendo na prática onde os maiores negócios digitais do Brasil estão localizados.

Essa é a maneira mais eficiente e quase preguiçosa de saber como hospedar um site como um profissional. Você vai saber como hospedar um site feito um profissional sem ter que pesquisar muito (já fiz isso para você).

Não leia nada sobre como hospedar um site sem conferir esta lista primeiro. O resultado é surpreendente!

Mas antes, vamos ver o que é hospedagem de sites e como escolher o tipo mais adequado ao seu caso.

O que é hospedagem de sites

Como hospedar um site - o que é hospedagem?

Quando você acessa um site, na verdade, está acessando por meio da internet um computador que armazena os arquivos desse site.

Esses arquivos são os textos, as imagens, as páginas, enfim, tudo o que compõe aquele site.

Como os arquivos ficam armazenados nesse computador remoto, dizemos que ele os hospeda.

Mas esse computador também serve esses mesmos arquivos a todas as pessoas que acessam aquele site. Por isso, também dizemos que ele é um servidor.

Então, o que é hospedagem de sites? Nada mais do que uma empresa que oferece servidores para que você lá coloque os arquivos do site que está criando desde a primeira aula deste curso.

Existem diversos tipos de hospedagem, mas você só precisa se preocupar com as 4 principais…

Como hospedar um site escolhendo o melhor tipo entre os 4 disponíveis

Como hospedar um site - os 4 tipos

Vou seguir com o mesmo exemplo para que tudo fique bem claro para você, ok?

Pense que o servidor que eu acabei de mencionar seja exclusivo para o seu site. É como você tivesse comprado um computador novinho e colocado ali apenas os arquivos do seu site.

Quando isso acontece, você tem um servidor dedicado (dedicated server). Um computador que serve apenas para o seu site, para o seu blog, para o seu e-commerce.

Como ele é só seu, você pode fazer o que quiser nele. Instalar seu sistema operacional preferido, mexer no hardware, apagar itens indesejados…

O problema é que isso sairia muito caro tanto para você como para a empresa de hospedagem.

É como se você tivesse um computador somente para abrir um documento do Word e não fazer mais nada.

Seria um desperdício, não? Por que não salvar mais alguns arquivos lá, aproveitando melhor todo o potencial do computador?

Servidor compartilhado

É isso o que as empresas de hospedagem fazem. Elas compartilham seus computadores para vários sites.

Isso significa que, se você utilizar a mesma hospedagem que este meu blog, pode ser que os arquivos do seu site fiquem no mesmo computador que os arquivos do meu site. Apenas em pastas separadas.

Quando isso acontece, você tem um servidor compartilhado (shared host).

Nele, você não vai poder fazer o que quiser no computador (afinal, outras pessoas estão usando). Em compensação, a empresa de hospedagem pode otimizar custos e oferecer produtos mais baratos.

O problema é que, dependendo de quais sites estão neste servidor compartilhado, seu site pode ficar muito lento.

Além disso, existe a possibilidade de o Google penalizar um site por conta da “vizinhança”.

Em termos simples, se o seu site está compartilhando o mesmo computador de um site que adota práticas condenadas pelo Google, como spam por exemplo, o seu site também pode acabar pagando o pato.

É como quando você leva bronca dos pais por uma travessura que o seu irmão que fez…

Virtual Private Server

O terceiro tipo de hospedagem é conhecida como VPS. É a sigla em inglês para Virtual Private Server, ou Servidor Privado Virtual.

O VPS foi criado para ser um meio termo entre o servidor dedicado (que é o melhor, porém mais caro) e o compartilhado (mais barato, porém de pior desempenho).

Na prática, seu site ainda vai dividir o computador com outros. Porém o servidor é “dividido” virtualmente. Como se fossem computadores diferentes, permitindo um maior controle e eliminando alguns problemas de “má vizinhança”.

Hospedagem Gerenciada

Para finalizar essa parte teórica sobre como hospedar um site, temos a hospedagem gerenciada.

Esse quarto tipo de hospedagem, que é relativamente novo, prepara os computadores para necessidades específicas de determinados softwares.

Por exemplo, se o negócio digital que você está montando é um site que utiliza o WordPress (recomendado na aula anterior), você pode hospedá-lo em uma hospedagem gerenciada voltada para WordPress.

Então, recapitulando as quatro opções de como hospedar um site são:

  1. Servidor dedicado: um computador só para o seu site, permitindo total controle, mas também saindo mais caro.
  2. Servidor compartilhado: seu site e vários outros compartilhando um mesmo computador, o que não permite que cada uma faça o que quiser, mas barateia os custos.
  3. VPS – Servidor Virtual Privado: uma emulação virtual de um servidor dedicado, que funciona como um meio termo entre o servidor dedicado e o compartilhado.
  4. Hospedagem gerenciada: computadores preparados especificamente para atender a softwares específicos, como WordPress.

Como você deve imaginar, 99% das pessoas que buscam como hospedar um site não fazem ideia de tudo isso que acabei de explicar.

Sendo assim, elas não sabem como escolher um site. E acabam cometendo erros que, no longo prazo, custam milhares de reais, ou até mesmo definem o insucesso de um site.

Você imagina que erros são esses?

Os 3 principais erros que as pessoas cometem ao tentar descobrir como hospedar um site

Como hospedar um site - os 3 erros

1. Escolher pelo preço (ou optar por hospedagem gratuita)

Quando você vai a uma loja e não vê nenhuma diferença entre os produtos, como você escolhe?

Pelo preço, é claro!

Se houver um produto gratuito, então, melhor ainda!

Ao tentar descobrir como hospedar um site, as pessoas ficam sabendo que existem opções que vão de mais de mil reais ao mês até zero. Isso mesmo, zero reais.

Isso as leva a cometer o mais grave dos erros. Contratar servidores de internet pelo preço, ou até mesmo escolher hospedar site grátis.

Agora que você é expert na teoria sobre como hospedar um site, já sabe que isso só pode significar uma coisa. Dezenas de sites compartilhando um mesmo computador.

Mal comparando, é como se você abrisse a sua loja no meio de uma precária rua comercial superlotada.

O resultado é que o seu site fica lento. Algumas vezes cai. E até pode ser penalizado pelo Google por conta da má vizinhança.

2. Supervalorizar o próprio site

Algumas pessoas, por intuição, concluem que se algo está muito barato é por que não tem qualidade.

Então, elas começam a olhar planos de hospedagem de sites mais caros. Olham a lista de funcionalidades e acham que, quanto mais, melhor.

E assim, acabam supervalorizando o próprio site, contratando um plano caro para hospedar um site que não precisaria de tudo aquilo.

É a velha história de tentar matar a mosca com uma bazuca…

Nesse caso o site fica rápido, não cai, não é penalizado. Mas o bolso do dono do site é que sofre as consequências.

3. Contratar uma hospedagem nacional

Eu sei, esse terceiro ponto é polêmico. Não deveríamos generalizar, cada caso é um caso, tudo tem suas vantagens e desvantagens, blá, blá, blá…

Não importa o que se argumente, o fato é que as melhores empresas de hospedagem de sites estão lá fora. Em praticamente qualquer comparação que se faça, a relação custo benefício dos servidores gringos quase sempre vence.

Na teoria, um site hospedado no Brasil ganharia alguns pontos no Google por estar mais próximo dos usuários que o acessam.

É preciso lembrar, no entanto, que esse é apenas um dos fatores que compõem o algarismo de rankeamento do Google (veja aqui a lista com mais de 200 fatores de posicionamento em mecanismos de busca).

E ele é um fator menos importante do que, por exemplo, a velocidade do site.

Por isso, ao buscar como hospedar um site, foque-se primeiro nas empresas de hospedagem de fora, especialmente dos Estados Unidos e da Europa.

Elas conseguem oferecer um serviço de qualidade superior a preços competitivos (mesmo considerando a variação cambial).

Agora que você já sabe quais os três principais erros que as pessoas cometem ao buscar como hospedar um site, é chegada a hora de escolher a sua hospedagem.

Como hospedar um site feito um profissional: os 9 critérios de escolha

Como hospedar um site like a pro

Sempre que vamos fazer uma escolha racional, precisamos ter em mente alguns critérios que nos ajudem a decidir.

No caso de hospedagem de sites, os 9 principais critérios de escolha devem ser, nesta ordem:

1. Tipo de hospedagem adequado

O seu projeto precisa de um servidor dedicado, um compartilhado, um VPS ou uma hospedagem gerenciada?

Se o seu site for algo apenas pessoal, o servidor compartilhado pode ser indicado para início. Se a intenção é ter algo mais robusto, sugiro começar pelo VPS e futuramente escalar para um servidor dedicado. Se você vai rodar um blog no WordPress, indico a hospedagem gerenciada de olhos fechados.

2. Uptime

Uptime é o tempo que o servidor fica ativo. O Google costuma penalizar sites que ficam fora do ar com frequência, já que é frustrando para os usuários tentar acessar um site e não conseguir.

O problema é que essa é uma informação difícil de conseguir (todas as empresas de hospedagem anunciam 99% de uptime).

3. Velocidade do site

Também por conta da experiência do usuário, o Google penaliza sites lentos. Assim, use ferramentas como o Google Page Speed ou GTMetrix para ver a velocidade de alguns sites. O ideal é que o tempo de carregamento de cada página não ultrapasse 4 segundos.

4. Reputação no mercado

Faça uma busca no Google para saber se a empresa que você está considerando contratar possui uma boa reputação no mercado.

Entre nos sites delas e veja se há depoimentos de clientes, selos de qualidade, boa apresentação das informações etc. O ideal é perguntar a alguém que hospede o site com essa empresa qual a opinião como cliente.

5. Preço

Se as opções são semelhantes para os critérios acima, você pode escolher a que estiver mais em conta.

Cada um sabe onde o bolso aperta, você precisa balancear a dor de pagar mais caro com o prazer de ter um site rápido e estável. No entanto, nunca cometa o erro de colocar o preço como principal critério de escolha.

6. Tipos e versões dos softwares

Para armazenar e servir os arquivos do seu site, o servidor precisa ter nele instalados alguns softwares.

Os mais comuns são cPanel (painel de controle para que usuários leigos possam operar), Apache (servidor web compatível com protocolo HTTP), MySQL (gerenciador de banco de dados), phpMyAdmin (aplicativo web desenvolvido em PHP para administração do MySQL pela Internet). Coloquei os links dos sites oficiais para que você verifique se a versão oferecida pela empresa de hospedagem é a mais recente.

7. Suporte

A empresa oferece suporte 24 horas, 7 dias por semana? Você não vai querer ter que esperar até a segunda-feira fora do ar se o seu site cair na sexta… Aqui é preciso considerar o idioma, se você for contratar uma hospedagem gringa.

8. Facilidade de uso

As empresas de hospedagem sabem que a maioria das pessoas não têm conhecimento técnico para configurar um servidor, por isso elas oferecem painéis de controle intuitivos, softwares pré-instalados, sistemas de ajuda etc. Um servidor que você não consiga usar, afinal, não vai servir de nada.

9. Garantias

Por último, você pode verificar se a empresa possui alguma espécie de garantia para que você possa reaver o seu dinheiro dentro de certo período (geralmente 30 dias) caso não consiga usar ou mesmo não goste da hospedagem.

Uma dica aqui é nunca pagar o plano anual já na primeira tacada, pois você não sabe ainda como será sua experiência. Comece pagando mensalmente (mesmo que um pouco mais caro) para depois ir para o plano anual.

Uma maneira fácil e certeira de escolher a hospedagem

Nesse ponto você deve estar pensando: será que não existe uma forma mais fácil de eu saber como hospedar um site?!

Sim, existe! Basta observar quais as hospedagens que os grandes sites do seu nicho de mercado estão utilizando.

Provavelmente eles já fizeram toda essa pesquisa e tomaram a decisão com base em bons critérios de escolha. Não há razão para reinventar a roda: veja onde o seu competidor está hospedado e contrate a mesma empresa.

Descubra o segredo de 31 grandes sites brasileiros sobre como hospedar um site profissionalmente

Para facilitar a sua vida, eu compilei onde estão hospedados 31 grandes blogs e sites independentes do Brasil. Agora você pode baixar o relatório gratuitamente aqui:

Download: 31 Grandes Sites Brasileiros e suas Hospedagens

capa-31-hospedagens

Sim, é de graça.

Mas atenção: eu não sei por quanto tempo consigo manter esse relatório no ar antes que algum dos sites ou das empresas de hospedagem reclamem, então baixe o quanto antes possível (pode ser que amanhã ele não esteja mais no ar…)

Esse é um modo fácil, simples, aprovado e garantido de escolher um servidor de hospedagem sem cometer os erros de iniciante.

No relatório, você vai ver que eu mesmo hospedo um site de alto tráfego na França em uma empresa que praticamente ninguém conhece…

Minha experiência com um site de alto tráfego: por que fui hospedar o meu site na França!

Como hospedar um site na França

Em dezembro de 2010, eu assisti ao filme A Rede Social, que conta a história de criação do Facebook, e decidi criar uma rede social para mim também.

(Quem nunca?!)

Eu havia acabado de encerrar as atividades da Wenetus e, depois de criar sites para mais de 100 pessoas diferentes, resolvi criar um para mim mesmo.

Para isso, eu usei um plugin para WordPress chamado Buddypress, que transforma o gerenciador de blogs em um gerenciador de rede social.

Até aí tudo bem, o Mude.vc era um projeto despretensioso e eu hospedei em um servidor compartilhado na Dreamhost.

O problema é que o Buddypress consome MUITOS recursos do servidor.

Quando o site começou a crescer, o servidor compartilhado da Dreamhost não aguentou o tranco. Eu migrei para um VPS e ele também não aguentou.

Cheguei a pagar um servidor dedicado na Dreamhost e, ainda assim, a performance não era a ideal.

Foi então que comecei a pesquisar e contratei profissionais especializados em configuração de servidores, que me indicaram uma empresa de hospedagem francesa chamada Online.net.

Essa é uma empresa pouco conhecida e pouco utilizada por sites pequenos, já que não oferece softwares pré-instalados nem tem facilidade de uso. Para você ter ideia, eu tive que comprar o cPanel por fora e instalar lá.

Porém, depois que o Mude.vc ficou em um servidor confiável, rápido e estável, ele começou a crescer rápida e exponencialmente!

Menos de um ano depois de eu acertar na hospedagem, o site duplicou os acessos e a quantidade de membros cadastrados e da lista de emails passou para outro patamar.

Resumo da história: quando eu pensava estar economizando, na verdade estava sabotando o meu próprio projeto.

Conclusão

Isso quer dizer que você deve hospedar seu site na Online.net? Definitivamente não.

Este blog mesmo eu hospedo na MediaTemple, em uma hospedagem gerenciada voltada para WordPress.

Cada caso é um caso, e você deve analisar os critérios de escolha para saber como hospedar um site adequadamente.

Se você quiser facilitar o processo, baixe o relatório especial que o Fator W produziu com exclusividade mostrando onde estão hospedados 31 grandes blogs e sites independentes do Brasil.

Eles já fizeram o trabalho difícil por você. Basta observar e seguir o que os líderes estão fazendo.

Plano de Ação 2.8

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, sonhos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #15: Suba o seu blog para a sua nova e excelente hospedagem

Se você cumpriu a Tarefa #12 do curso, já tem instalado no seu próprio computador o WordPress, com o tema escolhido, os plugins instalados e tudo o que é necessário configurado.

O que você precisa fazer depois de escolher a sua hospedagem é subir os arquivos que estão dentro da pasta wordpress para o servidor que você acaba de contratar.

Download: 31 Grandes Sites Brasileiros e suas Hospedagens

capa-31-hospedagens

Depois que contratar a hospedagem, você vai precisar utilizar um programa de FTP (File Transfer Protocol, ou Protocolo de Transferência de Arquivos) para enviar seus arquivos para lá.

Eu sugiro que você baixe e utilize o FileZilla, que é gratuito e multiplataforma.

Configure o FileZilla com os dados que o seu servidor de hospedagem vai fornecer (endereço, login e senha) e arraste os arquivos do seu computador para o servidor.

Em seguida, rode o XAMPP no seu computador, vá até o phpMyAdmin e exporte o banco de dados do seu computador.

No servidor de hospedagem, abra o phpMyAdmin de lá, crie um banco de dados novo (zerado) e importe para lá o que você acabou de exportar no seu computador.

Ajustes finos

Depois é preciso fazer três ajustes:

  1. Ainda no phpMyAdmin do seu servidor de hospedagem, altere na tabela chamada wp_options as duas primeiras linhas, chamadas siteurl e home, trocando o endereço do seu localhost para o domínio que você registrou na Tarefa #8.
  2. Edite o arquivo wp-config.php na raiz, substituindo as informações de nome do banco de dados, nome de usuário, senha e endereço do host pelos dados que lhe forem passados pelo seu servidor de hospedagem.
  3. Acesse o WordPress e instale o plugin Better Search Replace. Depois mande ele substituir o endereço do seu computador (que começa com http://localhost) pelo endereço do domínio que você registrou (que deve ser algo como http://www.nomedoseusite.com.br).

Pronto, o seu site está no ar.

Nada disso será necessário se, em vez de instalar o site no seu computador, você já criou o WordPress diretamente no seu servidor de hospedagem, utilizando serviços de “instalação com um clique”.

Se você contratou uma hospedagem gerenciada para WordPress, como a disponível no MediaTemple, o WordPress já virá instalado por padrão.

Por fim, se houver alterações que você queira fazer antes de lançá-lo, instale e ative o plugin Maintenance Mode.

Com ele, só você, como administrador do site logado no WordPress, vai conseguir visualizar as páginas. Os demais usuários verão apenas uma página de manutenção.

Aliás, você tem ideia de quais são os itens que você deve observar antes de lançar o seu site para o mundo?

Na próxima aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, vou apresentar um super checklist que vai cobrir todos os detalhes que você tem que cuidar antes de anunciar para o mundo a sua mais nova criação.

Até lá, baixe o relatório especial que mostra onde estão hospedados 31 grandes sites brasileiros e contrate logo o seu servidor de hospedagem.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

5 comentários