Como estruturar um post perfeito em 4 rápidas etapas: análise de um caso de sucesso

Como estruturar um post perfeito em 4 rápidas etapas: análise de um caso de sucesso

Como estruturar um post

Se você quer produzir um conteúdo para a internet que realmente se destaque, precisa – antes mesmo de escrever a primeira palavra – saber como estruturar um post de qualidade.

Se você seguiu à risca as tarefas das aulas anteriores desta terceira etapa do curso Presença Digital de Zero a Dez, já tem agora em mãos:

  • Uma estratégia de conteúdo adaptada aos princípios do marketing de conteúdo
  • Um assunto sobre o qual vai produzir seu post, incluindo os objetivos e o público-alvo deste novo conteúdo
  • As palavras-chave que serão exploradas e a pesquisa inicial do conteúdo já existente na internet sobre elas
  • A história que será contada pra transmitir o seu conteúdo

O último passo antes de começar efetivamente a produzir o seu novo conteúdo é definir sua estrutura.

Isso significa simplesmente pegar a pesquisa que você realizou na tarefa anterior e analisar como as informações serão estruturadas.

Que tópicos serão abordados? Como será a divisão do conteúdo? Que recursos multimídia podem ser utilizados? Qual será a extensão do conteúdo?

Sabendo como estruturar um post da maneira adequada, tudo o que você terá a fazer depois será somente “preencher os espaços em branco” com o conteúdo que já foi pesquisado e organizado.

É por isso que a primeira etapa de produção de conteúdo – a pesquisa – é a mais demorada e trabalhosa.

No entanto, é ela que garante que o seu post, áudio ou vídeo vai se destacar na gigantesca quantidade de conteúdo que existe na web.

Vejamos agora as 4 rápidas etapas que você precisa dominar para saber como estruturar um post de qualidade.

Etapa 1: Defina quais os principais tópicos que serão abordados

Como estruturar um post

Durante a pesquisa de palavras-chave, você abriu e analisou cada um dos dez conteúdos mais bem posicionados no Google para a palavra-chave principal e talvez para cada uma das secundárias.

Acrescente a isso os conhecimentos que você detém sobre o seu nicho de mercado, e é provável que já tenha em mente quais são os tópicos que serão abordados no seu novo conteúdo.

A primeira etapa para saber como estruturar um post perfeito, portanto, é definir que tópicos dentro do tema escolhido precisam ser abordados e quais podem ficar de fora.

A maioria dos assuntos é ampla demais para caber em um só texto ou em um só vídeo. Por isso, um bom produtor de conteúdo sabe bem como delimitar os tópicos a serem abordados.

Isso pode ser frustrante por deixar alguns de fora, mas também gera a oportunidade de temas para novos posts, mantendo o seu calendário editorial em dia.

Então, neste primeiro passo, simplesmente liste na sua ferramenta de organização quais os tópicos que serão abordados no seu conteúdo.

Exemplo prático: meu post sobre criatividade

Para exemplificar, vou retomar o exemplo do post sobre como ser criativo que escrevi para o Mude.vc.

Depois de realizar toda a etapa de pesquisa de palavras-chave e análise do conteúdo existente, defini que cinco tópicos não poderiam de modo algum ficar de fora:

  • A possibilidade de a criatividade ser treinada
  • Os elementos que compõem a criatividade
  • O processo criativo
  • As técnicas e ferramentas de criatividade
  • Os livros sobre criatividade

Como esses cinco grandes grupos de conteúdo em mãos, a etapa seguinte foi dividi-los em subtópicos.

Etapa 2: Divida os tópicos em subtópicos

Mapa mental para posts

Uma verdade conhecida há tempos na internet é que são poucas as pessoas que realmente leem um conteúdo da primeira até a última palavra.

A maioria de nós, quando se depara com um texto, primeiro passa a olho no título e rola a página procurando elementos que chamem nossa atenção.

Segundo pesquisa de Nielsen Norman, os usuários de internet tender a ler somente 20% das palavras de um post. Esse processo é conhecido como “escaneamento” do texto.

Se o seu conteúdo for uma massa contínua de texto simples, dificilmente sua persona conseguirá se deter em algum ponto. O mais provável é que ela desista e procure outro conteúdo mais fácil de ser absorvido.

Por isso, dividir os grandes tópicos em subtópicos – marcando-os adequadamente – é essencial para quem quer dominar como estruturar um post de qualidade.

De acordo com estudos da Yoast, para melhorar a escaneabilidade do seu texto, cada subtópico deve ter no máximo 300 palavras.

Como visto no início do curso, o Google privilegia conteúdos relevantes e aprofundados. Na média, posts bem posicionados tem cerca de 1.500 palavras.

Dividindo 1.500 por 300, chegamos á conclusão que um post relevante terá, pelo menos, cinco tópicos ou subtópicos.

Claro que esses números são apenas referenciais, não uma regra rígida. É bom tê-los em mente para os passos seguintes.

A marcação dos tópicos para web semântica

Web semântica

Um bom produtor de conteúdo sabe que a linguagem de marcação da web (o HTML) possui tags que contêm significados. Trata-se, portanto, de uma linguagem semântica.

Quando vamos escrever um post em um gerenciador de conteúdo como o WordPress, temos uma barra de ferramentas para marcar itens como negrito, itálico e entretítulos.

Essas marcações não são simplesmente visuais. Elas servem para que aplicativos e robôs de busca entendam o significado, a semântica daquele conteúdo.

Negrito significa força. Itálico significa ênfase. E os entretítulos são classificados hierarquicamente, de um a seis.

Essas tags h1 a h6 devem marcar o título, os tópicos e os subtópicos do seu post.

A tag h1 será utilizada no título e só aparece uma vez. Em regra, você não tem que se preocupar com ela, deixando tudo a cargo do gerenciador de conteúdo.

A preocupação maior deve ser com os tópicos (geralmente marcados com h2) e subtópicos (em regra marcados com h3).

Pode parecer complicado a princípio, mas é só perceber que as divisões principais são títulos de segundo nível. E se nelas houver um subtópico, será um cabeçalho de terceiro nível.

Vamos ao exemplo para ficar mais prático.

Uso de mapa mental para divisão em tópicos e subtópicos

Na minha opinião, a melhor forma para saber como estruturar um post com maestria é utilizando um mapa mental.

No post sobre criatividade, eu tive que pegar aqueles cinco tópicos principais e dividi-los em subtópicos. Para isso, fiz um mapa mental da seguinte forma:

Como estruturar um post

Ao centro do mapa, em azul, temos o assunto do post. Esse será o título, com a tag h1.

Logo depois, temos os cinco principais tópicos, que serão cabeçalhos de segundo nível (h2).

Alguns desses tópicos são muitos extensos, tendo que ser divididos em subtópicos (h3).

Por exemplo, no tópico sobre ferramentas e técnicas de criatividade, listei 12 delas. Cada uma tornou-se um subtópico.

Se um desses subtópicos tivesse alguma divisão, seriam cabeçalhos de quarto nível (h4) e assim em diante, até o sexto nível. Particularmente, eu costumo usar subdivisões somente até o terceiro nível.

Existem diversas ferramentas de mindmaps para elaborar os mapas, recomendo o gratuito Mindmup ou o mais robusto Mindmeister.

Etapa 3: Analise em que formato o conteúdo será melhor transmitido

Formato de conteúdo

A terceira etapa para saber como estruturar um post bem é analisar, para cada tópico e subtópico, quais os formatos em que essa informação pode ser comunicada da melhor forma.

Conforme explicado, a escaneabilidade de um texto é um dos fatores preponderantes para a persona decidir se vai consumir aquele conteúdo ou deixá-lo de lado.

Alguns conteúdos são mais bem transmitidos em forma de texto. Outros, em vídeo, áudio, imagens, infográficos, tabelas etc.

Você também pode começar a pensar, já neste passo, que elementos visuais utilizará para deixar o conteúdo ainda mais escaneável.

O que costumo utilizar sempre é no mínimo uma imagem abaixo de cada tópico (h2). Mais adiante no curso temos uma aula sobre bancos de imagens.

Além disso, é recomendável utilizar:

  • Listas, como esta aqui
  • Palavras em negrito, que resumam a ideia daquele pensamento
  • Parágrafos com poucas linhas, trabalhando a prática de uma ideia por parágrafo
  • Citações (marcadas com a tag HTML de blockquote)
  • Um vídeo incorporado ao post (há indícios de que isso favorece o posicionamento nos resultados do Google)
  • Links externos para sites de autoridade sobre o assunto
  • Links internos para outros conteúdos do seu site sobre o tema
  • Capturas de tela (screenshots), muito utilizadas em tutoriais
  • Tabelas, para apresentação de dados tabulados

Combinando com parcimônia todos esses elementos, você consegue transformar o que antes era um bloco pesado de texto em um conteúdo que é mais lido, mais compartilhado e que gera mais resultados para o seu projeto.

Etapa 4: Defina a extensão do conteúdo

Como estruturar um post perfeito

O último passo antes de começar a efetivamente produzir o seu conteúdo é definir sua extensão, ou ao menos ter uma ideia dela a partir da quantidade de tópicos e subtópicos definida.

Existem dois números para serem tomados como referenciais. Se for produzir um texto, o ideal é que ele tenha pelo menos cerca de 1.500 palavras. Se for um vídeo, que tenha pouco menos de 10 minutos.

Não por acaso, 1.500 palavras em um roteiro geram um vídeo com cerca de 7 minutos, em média.

Obviamente isso depende do assunto a ser abordado. Entretanto, se o conteúdo for excessivamente extenso (mais de 4 mil palavras, por exemplo), é mais recomendável dividi-lo entre diversos posts.

Assim, o seu público terá mais facilidade em consumir. E você terá mais facilidade em produzir e seguir com o seu calendário de publicações.

Depois, você pode agrupar os diversos conteúdos em uma série de posts ou em uma playlist de vídeos ou áudios.

Se você fizer a pesquisa como ensinado nas aulas anteriores e agora estruturar o conteúdo da forma mostrada aqui, a sua produção de conteúdo fluirá e trará os resultados desejados.

Na próxima aula, veremos em detalhes como escrever a introdução do seu novo conteúdo. Até lá!

Plano de Ação 3.4 – Como estruturar um post

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, projetos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #24: Defina a estrutura do seu conteúdo

Nas últimas tarefas da etapa Produzindo Conteúdo, começamos a elaborar uma planilha e um checklist. Eles servirão para orientar a criação dos novos conteúdos do seu projeto.

O próximo item, depois da escolha da história a ser contada, é definir a estrutura do seu conteúdo.

No modelo de planilha, simplesmente crie o item “Estrutura de conteúdo” com os campos tópicos, subtópicos, formatos e estimativa de extensão.

Como falei acima, eu prefiro estruturar os tópicos e subtópicos em um mapa mental, mas você também pode fazer em formato de lista na planilha ou até direto no editor de texto.

Já no checklist, acrescente as quatro etapas que vimos aqui:

  • Listar os tópicos a serem abordados
  • Dividir os tópicos em subtópicos
  • Analisar em que formato cada tópico será melhor transmitido
  • Definir a extensão do conteúdo

Com isso, finalmente poderemos passar para a produção do conteúdo em si. E tudo começará com a introdução, tema da próxima aula do curso.

Se você tiver alguma dúvida sobre como estruturar um post perfeito, deixe seu comentário logo abaixo.

Bibliografia deste artigo

Livro #23: Mapas Mentais, por Tony Buzan

Livro Mapas MentaisNo livro Mapas Mentais, Tony Buzan ensina passo a passo a produzir mindmaps, que são, na minha opinião, a melhor maneira para saber como estruturar um post perfeito de forma rápida e efetiva.

O livro é bem simples, rápido de ler e ensina os conceitos básicos sobre como elaborar um mapa mental de forma eficiente. Também é muito útil para quem está estudando para provas, vestibular, ENEM, concursos públicos, assuntos acadêmicos e outros tipos de testes que exijam certa memorização.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos