Como escrever uma introdução matadora: 10 modelos testados e aprovados para você adaptar ao seu projeto

Como escrever uma introdução matadora: 10 modelos testados e aprovados para você adaptar ao seu projeto

Como escrever uma introdução com modelos

Você já sofreu com a síndrome da página em branco? Se você não sabe como escrever uma introdução, com certeza já passou por ela:

A tela do editor de texto está ali na sua frente. Completamente em branco. O cursor piscando, como que esperando que você comece a introduzir algumas palavras.

Só que nada sai. Nem uma mísera palavra. Você não faz ideia de começar um trabalho acadêmico, um novo post para o seu blog, um roteiro para o novo vídeo do seu canal, uma nova publicação para as redes sociais.

Se você está seguindo o curso Presença Digital de Zero a Dez aqui no Fator W, já recebeu diversas tarefas nesta terceira etapa, que trata da produção de conteúdo.

Em resumo, você traçou uma estratégia para o marketing de conteúdo. Escolheu um tema. Definiu o público-alvo e os objetivos do novo conteúdo. Pesquisou as palavras-chave. Selecionou a história que vai contar e já até estruturou o novo conteúdo.

Agora só resta começar a escrever, certo?

Então, por que a síndrome da página em branco continua a acontecer?

Provavelmente porque começar um texto é uma das tarefas mais difíceis, mesmo depois de uma extensa pesquisa de conteúdo.

Por isso, veremos hoje como escrever uma introdução de forma simples, incluindo:

  • Por que saber como escrever uma introdução é um enorme diferencial
  • O que é uma introdução bem-feita
  • Como escrever uma introdução que prenda a atenção do seu público: 10 modelos já testados e aprovados
  • Dicas prática para começar uma introdução: acabando com a síndrome da página em branco

Ao final, passarei uma tarefa para você começar a produzir sua introdução.

Por que saber como escrever uma introdução é um enorme diferencial

O que é uma introdução

Uma introdução bem-feita é capaz de apresentar ao leitor o tema que será tratado no texto e, ao mesmo tempo, prender sua atenção para seguir lendo o conteúdo.

Sabe aqueles vídeos a que você assiste que, logo nos primeiros segundos, já despertam a sua curiosidade antecipando o que vem adiante?

Esse trabalho começa no título e segue na introdução. Esta é a responsável por alavancar o restante do seu conteúdo, sem, todavia, entregar tudo logo de cara.

Embora seja básica a informação de que não se deve começar o desenvolvimento de um texto sem antes passar pela introdução, a verdade é que são poucas as pessoas que realmente sabem como introduzir um novo conteúdo.

A maioria vai direto ao ponto, presumindo que o público já tem certo conhecimento do assunto ou que estará disposto a descobrir por conta própria o que vem a seguir.

Isso é um erro por que, como já provado por pesquisa da Nielsen Norman Group, os usuários de internet tender a ler somente 20% das palavras de um texto na internet.

Esse processo é conhecido como “escaneamento” do texto e falei sobre ele quando ensinei como estruturar um post adequadamente.

Assim, uma boa introdução pode ser o enorme diferencial entre um conteúdo que cumpre seus objetivos e outro que apenas consumiu tempo e energia do produtor, obter nenhum dos resultados pretendidos.

O que é uma introdução bem-feita

Dicas sobre como fazer uma introdução

Uma introdução não é a mesma coisa que o início de um conteúdo.

Todo texto já publicado, de uma forma ou de outra, tem um começo. Mas nem todos tem uma introdução.

Um artigo sobre pesquisa de palavras-chave, por exemplo, pode já começar com instruções do tipo: abra o Google, pesquise a palavra desejada, analise os resultados etc.

O texto certamente tem um começo, mas não tem uma introdução adequada.

Uma introdução bem-feita é aquela que apresenta ao leitor o conteúdo que será tratado ao longo do artigo e, principalmente, explica por que aquele conteúdo é relevante.

Uma boa estrutura de introdução é pensá-la na seguinte sequência:

  1. Por que
  2. O que
  3. Como
  4. E se…

Primeiro você explica ao leitor por que aquele tema é importante. Especialmente, tenta aguçar a curiosidade da persona para que ela decida que vale a pena gastar o tempo consumindo aquele conteúdo.

Em seguida, fala exatamente o que é o assunto e como ele pode ser aplicado para que a persona cumpra determinado objetivo.

Como bônus, uma introdução bem-feita pode começar a fazer alguns exercícios de imaginação do tipo “e se…?”, que serão explorados no desenvolvimento do texto.

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Como escrever uma introdução que prenda a atenção do seu público: 10 modelos já testados e aprovados

A seguir, apresento 10 modelos de introdução que você pode copiar, colar e adaptar para o seu projeto.

Em todos eles, explico um pouco como funciona o modelo e trago um exemplo real de textos meus ou de terceiros. Assim, quero facilitar o trabalho de quem não sabe bem como começar um novo conteúdo.

1. Problematizar – Agitar – Resolver

Como fazer uma introdução - Modelos

Este modelo consiste em começar um texto apresentando um problema, explicando por que ele é relevante.

Depois, o autor deve agitar esse problema, mostrando as consequências práticas que pode haver se o leitor não conhecer melhor o assunto ou se não tomar determinada ação.

Em seguida, a introdução antecipa a solução, explicando como o texto irá ajudar o leitor a resolver aquele problema.

Exemplo prático

Bryan Collins dá o seguinte exemplo para este modelo, em um post sobre como atrair tráfego para um site:

[Problematizar] Você está cansado de escrever posts que ninguém lê?

[Agitar] Milhões de blogueiros amadores, assim como você, publicam posts todo dia, preocupam-se com otimização para mecanismos de busca, e consideram gastar centenas de reais em publicidade no Facebook.

Mas, a não ser que você gaste tempo nos lugares certos, nunca irá construir o tipo de audiência de que precisa para ter um blog de sucesso.

[Resolver] E se eu te dissesse que existe uma maneira melhor? E se eu revelasse que escrever para outros blogs pode atrair milhares de novos leitores para o seu blog?

2. A.I.D.A.

Como escrever uma introdução

A.I.D.A. é o acrônimo para Atenção, Interesse, Desejo e Ação.

Essas são as quatro etapas do mais famoso funil de vendas já inventado na publicidade, tanto na tradicional quanto na propaganda on-line.

No entanto, o AIDA também é uma excelente saber como escrever uma introdução, já que começa prendendo a atenção do público e termina com uma chamada para ação.

O primeiro passo é despertar a atenção. Isso geralmente é feito com uma afirmação polêmica ou pouco convencional.

Em seguida, você capta o interesse do leitor antecipando o que virá ao longo do conteúdo. Fale especificamente sobre as dores e necessidades da persona que você definiu na Tarefa #3.

O terceiro passo é atiçar o desejo do leitor, explicando os benefícios de consumir aquele conteúdo. Seja o mais específico que puder, de preferência contando histórias reais.

Por fim, faça uma chamada para ação. Quase sempre em uma introdução, a chamada para ação é que o leitor continue lendo o texto até o final, ou que assista ao vídeo até o fim.

Exemplo prático

Utilizando mais um exemplo de Bryan Collins:

[Atenção] Se você está publicando o seu melhor conteúdo no seu próprio blog, você está perdendo o seu tempo!

Se você estiver realmente interessado em crescer o seu blog, precisa dar esse melhor conteúdo para os maiores sites do seu nicho de mercado. De graça!

[Interesse] Eu estou falando sobre guest posts. Escrever conteúdo de alta qualidade para os maiores sites do seu nicho é o atalho mais rápido para fazer o seu blog crescer. E neste post, eu vou ensinar exatamente como fazer isso.

[Desejo] Se você ainda está inseguro sobre dar de graça o seu melhor conteúdo, que tal eu contar a você que apenas um guest post pode atrair mais de 10.000 novos visitantes e 500 assinantes para o seu site?

Você provavelmente vai dizer que eu estou louco. Eu também era cético, até escrever o meu primeiro guest post.

E por isso neste post eu vou apresentar um estudo de caso completo. Vou explicar como um cliente meu ganhou 10.000 leitores de 1.000 assinantes vindos de apenas um guest post.

[Chamada para ação] Continue lendo este artigo e eu vou mostrar uma explicação passo a passo sobre como meu cliente obteve sucesso com guest posts e como você também pode facilmente ter resultados semelhantes.

3. Pérolas de Bob Stone

Pérolas de Bob Stone

Bob Stone é um lendário publicitário americano do século XX. Ele é responsável por criar uma fórmula aplicada em cartas de venda em todo o mundo.

Embora destinadas inicialmente à venda de produtos, as pérolas de Bob Stone podem ser utilizadas por todos que querem saber como escrever uma introdução poderosa.

Basta entender esses 7 passos:

  1. Comece com o benefício mais forte
  2. Expanda esse benefício
  3. Explique como o leitor pode ter esse benefício
  4. Acrescente provas que deem suporte ao que você está dizendo
  5. Diga ao leitor o que ele vai perder se não ler o artigo
  6. Resuma o benefício mais importante
  7. Escreva uma chamada para ação

Aqui, mais uma vez, a chamada para ação na introdução deve ser para que o público leia o texto até o final.

Você pode já usar na introdução todos os 7 passos ou apenas os 3 primeiros, deixando os demais para o desenvolvimento do texto.

Exemplo prático

Eis um exemplo das pérolas de Bob Stone aplicadas a uma introdução, da mesma fonte:

[Benefício mais forte] Se você quer atrair mais tráfego para o seu blog, eu tenho uma solução: guest posts. Eu mesmo usei essa estratégia para aumentar o tráfego do meu site em 1.000% em apenas três meses!

[Expansão do benefício] Em vez de passar horas escrevendo para o meu site, eu produzi posts sobre tópicos relevantes do meu público-alvo para blogs mais populares que o meu. Esses posts continuam trazendo gente para o meu blog por meses a fio.

[Explique como o leitor pode ter o benefício] Neste artigo, eu vou explicar passo a passo como escolher conteúdos relevantes, fazer com que grandes sites aceitem sua contribuição e produzir posts extremamente populares.

Eu também vou mostrar como convenci leitores desse grandes sites a clicarem em links para o meu site. E o que fiz com todo esse tráfego extra.

4. Fórmula da Abordagem

Fórmula da Abordagem

A Fórmula da Abordagem é um modelo de seis etapas também muito utilizado em vendas diretas. Ela foi criada para que o vendedor aborde o possível cliente amigavelmente, para só depois oferecer o produto.

Adaptando para introduções, seria o mesmo que você amigavelmente apresentar o que há no seu novo conteúdo para só depois fazer uma chamada para ação.

As seis etapas da fórmula são as seguintes:

  1. Abordar: você deve começar a abordagem dizendo algo com que a sua persona concorde. Algo não ameaçador, que mostre que autor e leitor tem os mesmos problemas e interesses.
  2. Propor: a seguir, deve propor um certo curso de ação, algo que a sua persona típica considera plenamente aceitável.
  3. Persuadir: o terceiro passo é convencer a pessoa de que aquele é o curso de ação é o mais interessante.
  4. Reafirmar: aqui você reafirma o que disse no início, só que agora acrescentando provas e exemplos reais.
  5. Ofertar: depois basta antecipar um pouco do que o leitor vai encontrar ao longo do texto, ofertando as soluções que serão abordadas.
  6. Chamar para ação: por fim, peça ao leitor que continue lendo o seu texto (ou vendo o seu vídeo) até o final.

Exemplo prático

Eis mais um exemplo de Bryan Collins com a Fórmula da Abordagem:

[Abordar] Manter um blog é mais difícil do que parece. Você tem que dominar a parte técnica, descobrir sobre o que escrever e fazer com que as pessoas visitem o seu blog.

[Propor] Mas se você é um blogueiro novato, só precisa se concentrar em umas poucas atividades e aprender diversas habilidades para fazer o seu blog crescer.

[Persuadir] Quando eu comecei a blogar, a quantidade de tarefas e coisas a aprender me sobrecarregou. É constrangedor admitir, mas eu quase desisti. Foi só quando eu comecei a focar em poucas atividades e habilidades que comecei a obter resultados.

[Reafirmar] Então não se preocupe. Eu vou deixar tudo muito fácil para você, mostrando exemplos reais.

[Ofertar] Neste post, explicarei em que você deve focar hoje, quais atividades pode ignorar (ao menos por enquanto) e um simples segredo para ter o tráfego que você desesperadamente deseja.

[Chamar para ação] Então, leia o texto até o final e, se preciso, deixe um comentário para que eu possa esclarecer possíveis dúvidas.

5. Pirâmide Invertida

Pirâmide Invertida Jornalismo

Se o seu projeto lida mais com notícias do que com conteúdos didáticos ou explicativos, também é possível fazer uma boa introdução seguindo as cinco perguntas fundamentais do jornalismo, também conhecidas do inglês como Os 5 Ws.

  • Who (quem): apresenta o sujeito da notícia
  • What (o quê): informa o que esse sujeito fez
  • When (quando): diz quando o fato ocorreu
  • Where (onde): comunica o local de acontecimento do fato
  • Why (por que): analisa as razões do acontecido
  • How (como): analisa como tudo aconteceu

Essa estrutura geralmente vem no primeiro parágrafo da notícia, também chamado de lead, e faz parte do que se convencionou chamar como pirâmide invertida.

Ciente de que poucos leitores leem o conteúdo até o final, e restritos pela limitação de espaço das publicações impressas, os jornalistas logo notaram que era melhor colocar todas as informações mais importantes já na introdução do texto.

E as menos importante ao final.

Esse é um formato que funciona bem até hoje, mas possui a desvantagem de deixar o visitante pouco tempo na página, gerando baixo engajamento. Se tudo está na introdução, não há por que perder tempo lendo o restante.

Portanto, só vale a pena utilizar esse tipo de introdução se o seu site for noticioso e tem como objetivo entregar a informação ao leitor de forma direta e a mais rápida possível.

Exemplo prático

[Quem] A CNN, maior e mais tradicional rede de notícias dos Estados Unidos, [O quê] comprou a empresa do youtubber Casey Neistat [Quando] nesta segunda-feira [Onde] em Nova York. [Por que] A empresa explicou em comunicado ao mercado que precisa se atualizar para novas mídias. [Como] A aquisição foi feita parte em dinheiro e parte em ações, sendo que Neistat e sua equipe trabalharão com a equipe da CNN a partir de agora.

6. Perguntas sem respostas

Perguntas sem respostas

Uma das mais famosas técnicas de copywritting são os chamados loops abertos.

Os loops abertos nada mais são do que perguntas feitas pelo autor, mas que não são imediatamente respondidas.

Feitas da maneira correta, tais perguntas abrem um espaço na mente do leitor que ele tenta fechar de alguma forma. E a forma mais direta de fazer isso é seguir lendo o texto.

Para funcionar bem, os loops abertos precisam mexer com as emoções do público-alvo, especialmente lidando com o gatilho mental da curiosidade.

Exemplo prático

Eis um exemplo do CopyBlogger para os loops abertos:

O que faz as pessoas quase realizarem uma compra?

O que as faz percorrer quase todo o processo de compras e aí abandonar o carrinho de compras no último segundo?

O que faz essas pessoas olharem o seu site, querendo o que você tem a oferecer e, mesmo assim, fechar a página e ir fazer outra coisa?

Parece que você está lidando com um troll. Cada vez que está perto de fazer uma vende, o troll aparece e espanta o seu possível comprador. Livre-se do troll e seu conteúdo começará a vender melhor do que nunca.

Esse feio, fedorento, sujo e mal educado troll é o medo.

E ele está sentado aí agora mesmo, no cantinho do seu site, esperando para espantar seus possíveis clientes.

7. Incorporação de histórias de terceiros

Incorporação de histórias de terceiros

Se você não sabe como escrever uma introdução, que tal pegar o texto de alguém que sabe?

Uma técnica ensinada pelo CopyBlogger é o uso de parábolas, anedotas e até mesmo citações de terceiros.

Tudo o que você tem a fazer aqui é encontrar um texto curto de terceiro cujo tema seja relacionado ao assunto que você vai escrever.

Em seguida, basta você mesmo contar essa história com as suas palavras, adaptando para o seu público-alvo.

Pode ser desde uma simples citação que resuma a mensagem que você quer passar com o conteúdo ou até mesmo um pequeno conto.

Algo que funciona muito bem é pegar passagens de filmes ou livros famosos para o seu público-alvo e começar o seu conteúdo explicando aquela cena.

Exemplo prático

Eis um exemplo que utilizei no meu post sobre Biohacking no Mude.vc, cuja introdução conta a sinopse do filme Sem Limites:

Eddie Morra era um escritor que não conseguia mais escrever. Certo dia, ele encontra na rua seu ex-cunhado, que lhe apresenta um remédio experimental que permite o uso de 100% da capacidade cerebral.

Basta tomar uma pílula e Eddie fica extremamente focado, produtivo, criativo e com capacidade de fazer coisas incríveis, como aprender outros idiomas, fazer cálculos complicados e escrever muito rapidamente.

Essa é a história do filme Sem Limites, no jeito hollywoodiano de explicar às massas o que é biohacking.

Se Eddie Morra é ficção, já são realidades casos tão impressionantes quanto.

Homens com visão noturna, dedos magnéticos, gente que não sente frio e muitos outros que conseguem alterar o próprio organismo por meio de intervenções, de nootrópicos (smart drugs) ou até de técnicas de alimentação. São os chamados biohackers.

Continue lendo este artigo para saber…

8. Convite à imaginação

Convite à imaginação

Uma maneira fácil de saber como escrever uma introdução é convidando o seu leitor a imaginar um cenário. Em regra, uma situação em que ele estará depois de consumir o conteúdo e aprender o que você tem a ensinar.

Esse modelo é muito forte porque mostra, de cara, como o leitor estará transformado depois que ler o seu artigo ou ver o seu vídeo. Por isso, ele funciona muito bem em conteúdos que buscam ensinar algo.

O modo mais simples de começar o seu texto é com a locução Imagine que… seguida de uma história.

Essa história pode ser pessoal e verdadeira (ideal) ou mesmo uma ficção que sirva para ilustrar o seu ponto.

Exemplo prático

Eis um exemplo que utilizei no post sobre estratégia de conteúdo:

Imagine que você crie um blog. Sem muita estratégia de conteúdo. Apenas para escrever sobre alguns assuntos que você está aprendendo.

Seu objetivo é somente mostrar ao mundo que se interessa por aqueles assuntos. E que, se lhe derem uma chance, você pode até trabalhar com isso.

Agora imagine que esse blog cresce exponencialmente. Você não só arruma um emprego, como também passa a ser chamado para diversas entrevistas na imprensa. Recebe milhares de visitas todos os dias. Consegue outros milhares de leitores fiéis no seu feed e na sua lista de e-mails.

O blog chega a ser considerado em mais de uma lista como um dos maiores do Brasil em sua área de atuação.

Aí a natureza insatisfatória da vida ataca. Com o tempo, você cansa daquilo tudo. Muda de ares. Vai deixando o blog de lado… até que uma brecha de segurança no desatualizado gerenciador de conteúdo do blog permite que um invasor bagunce todo o seu conteúdo.

Irritado, você joga tudo para o alto. Não renova o domínio. Liga o dane-se! e toca a sua vida.

Essa história é real e aconteceu comigo há cerca de seis anos.

E hoje estou aqui, retomando o blog, para aprender com os erros e mostrar os 7 simples passos que estou utilizando e que você também deve utilizar para montar uma estratégia de conteúdo realmente efetiva.

9. Estatísticas do Contrassenso

Estatísticas do contrassenso

Esse é mais um modelo de introdução sugerido pelo Copyblogger: citar estatísticas que vão de encontro ao senso comum.

Embora os seres humanos sejam movidos mais pela emoção do que pela razão, aparentemente nosso cérebro gosta de buscar fundamentos racionais para validar o que está consumindo.

Abrir um texto ou vídeo citando estatísticas de fontes confiáveis que se oponham ao que é senso comum, portanto, é uma excelente forma de atrair a atenção do público.

Exemplo prático

Veja esse exemplo de introdução do Hubspot:

Em 1946, os EUA tinham somente 12 canais de televisão. Com um simples anúncio, os publicitários podiam sentar e relaxar, sabendo que suas propagandas com certeza levariam seus produtos às mentes de quase todo o país.

As coisas são um pouco diferentes hoje em dia. As pessoas possuem uma opção quase ilimitada de provedores de conteúdo.

Com 1.700 canais de televisão, 14.700 estações de rádio e mais de um trilhão de páginas na internet, há programas e sites para qualquer tipo de interesse. E muitos deles estão impregnados com alguma forma de propaganda.

Sejamos honestos, a concorrência é cruel no atual mundo da propaganda. Veja neste post o que fazer a respeito.

10. Contar uma história pessoal

Introdução com Storytelling

Por último, um modelo muito eficiente para marketing direto é contar uma história pessoal relacionada ao tema do seu novo conteúdo.

Como expliquei na aula sobre storytelling, uma das estruturas mais eficientes para se contar uma história é a da jornada do herói.

Claro que nem toda história sua vai se adequar perfeitamente ao tal do monomito, mas você pode pegar o essencial: a divisão em três atos.

Comece sua história contando o seu patamar inicial. Siga explicando qual foi o ponto de virada e o que aconteceu. E finalize mostrando como você voltou a normalidade, agora em outro patamar.

As histórias pessoais fazem muito sucesso por criar uma conexão forte entre o autor e o público.

A maneira mais simples de como escrever uma introdução com história pessoal é utilizando a seguinte frase de abertura:

Outro dia eu estava pensando sobre [seu tema] e lembrei de uma história que aconteceu comigo.

Em seguida, basta começar a contar sua história, até o ponto de virada. Lembre-se de falar, também, por que decidiu tratar desse assunto.

Na introdução, você pode revelar como a história terminou, guardando o desenrolar dela para a parte de desenvolvimento.

Assim, consegue prender a atenção do leitor, que ficará curioso para saber como você saiu do ponto A para o ponto B.

Dicas práticas para começar uma introdução: acabando com a síndrome da página em branco

Como fazer uma introdução

Se você estiver com a síndrome da página em branco, simplesmente copie e cole no seu editor de texto um desses 10 modelos.

Depois, substitua o tema do exemplo pela palavra-chave que você selecionou na Tarefa #22.

A seguir, escreva a frase “Continue lendo este artigo para saber mais sobre:” e liste os tópicos e subtópicos que você estruturou na Tarefa #24.

Por fim, adapte o restante do exemplo que copiou e colou para se que se adeque ao tema tratado no seu texto.

Pronto, com isso você já tem uma introdução pronta! Com a prática, esse processo se tornará mais natural e você em breve terá modelos mentais para cada conteúdo novo que for criar.

Na próxima aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, estudaremos como manter a alta qualidade da sua introdução também no desenvolvimento do seu novo conteúdo.

Plano de Ação 3.5

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, projetos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #25 – Escreva uma introdução

Na aula anterior, você definiu a estrutura do seu novo conteúdo. Agora, siga os quatro passos para escrever uma introdução matadora:

  1. Escolha um dos 10 modelos de introdução
  2. Adapte o modelo para a palavra-chave escolhida na Tarefa #22
  3. Liste os tópicos e subtópicos que você estruturou na Tarefa #24
  4. Certifique-se de que a palavra-chave aparece já no primeiro parágrafo, de preferência em negrito

Nas últimas tarefas da etapa Produzindo Conteúdo, começamos a elaborar uma planilha e um checklist. Eles servirão para orientar a criação dos novos conteúdos do seu projeto.

O próximo item, claro, é escrever uma introdução. Crie, na planilha, um campo chamado “Modelo de introdução” e, no checklist, acrescente os itens:

  • Escolher um dos 10 modelos de introdução
  • Escrever a introdução, com a palavra-chave em negrito no primeiro parágrafo
  • Listar os tópicos e subtópicos ao final da introdução

Na próxima aula do curso, continuaremos com a produção de conteúdo. Analisaremos como escrever um desenvolvimento que faça jus ao planejamento feito até aqui.

Se você tiver alguma dúvida sobre como escrever uma introdução, deixe um comentário logo abaixo.

Bibliografia deste artigo

Livro #24: Sobre a escrita, de Stephen King

Sobre a escrita Stephen King é um dos mais prolíficos escritores de todos os tempos, já tendo publicados dezenas de livros que já venderam mais de 500 milhões de cópias em 40 idiomas diferentes.

Muitas histórias que fazem sucesso no cinema e na TV são adaptações de livros de Stephen King, como À Espera de um milagre, Under the dome, Um Sonho de Liberdade, Carrie, a Estranha e outros.

Em Sobre a escrita, esse mestre da arte de contar histórias explica seu processo criativo e ensina como aprender a escrever bem. O livro foi eleito pela Time Magazine um dos 100 melhores livros de não ficção de todos os tempos.

No vídeo abaixo, Tatiane Feltrin do canal Tiny Little Things conta como achou o livro incrível:

Se você quer aprimorar a sua escrita, esta é uma obra indispensável.

Livro #25: Para ler como um escritor, de Francine Prose

Para ler como um escritorExistem muitos livros que procuram ensinar como escrever bem. No entanto, quase todos os autores concordam que a melhor forma de aprimorar sua escrita é lendo muito. E lendo autores de qualidade.

Em Para ler como um escritor, Francine Prose mostra como ler grandes autores analisando a forma de escrita deles para você também passar a escrever melhor.

Entre os nomes analisados estão Virginia Woolf, Jane Austen, Vladimir Nabokov, Philip Roth e Flaubert. Se você souber absorver 1% do que essas grandes mentes sabiam da arte de escrever, com certeza seu conteúdo vai se destacar na mediocridade textual que reina na internet.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

7 comentários
  • Walmaaaar, que conteúdo incrível! Já salvei aqui nos favoritos e vou usar sempre que tiver que começar um post! Obrigada!!

  • Excelente, tbem vou usar os modelos para os meus textões 😀
    Esse curso está muito bom, Walmar. Espero que não fique muito tempo sem publicar!

  • Que conteúdo maravilhoso,simplesmente estou amando este blog.Fazia um tempo que estava procurando conteúdos como este e graças a Deus achei.
    Seu blog foi minha salvação.
    Muito Obrigada.

  • Muito bom esse seu artigo! só que eu não consigo adaptar -lo ao meu e book. Gostaria de fazer um introdução para ele. O e book trata de um assunto relacionada a uma experiencia minha. Como se fosse uma Autobiografia.