7 coisas de que você precisa para começar a anunciar no Facebook como um profissional

7 coisas de que você precisa para começar a anunciar no Facebook como um profissional

Começar a anunciar no Facebook

Começar a anunciar no Facebook é algo que amedronta muita gente.

Há o receio de não saber mexer na ferramenta. Há o temor de ter a conta bloqueada. E, principalmente, há o medo de perder dinheiro.

Todo esse receio é bastante justificável. Começar a anunciar no Facebook parece ser algo simples, mas não é.

A ferramenta é relativamente complexa e, se você não souber o que está fazendo, pode acabar perdendo dinheiro sem obter retorno algum.

Para que isso não aconteça, veremos nesta aula do curso Presença Digital de Zero a Dez as 7 coisas de que você precisa para começar a anunciar no Facebook do jeito certo.

Os 7 pré-requisitos que iremos analisar detalhadamente são:

  1. Fanpage
  2. Conta de Anúncios no Gerenciador de Negócios
  3. Pixel
  4. Públicos
  5. Página de Captura
  6. Lista de emails
  7. Sequência de emails

Antes de irmos ao primeiro dos itens, existe um pré-requisito essencial, algo tão básico quanto ignorado. É o que chamo de Pré-Requisito Zero.

Pré-Requisito Zero: Leia o manual

A primeira coisa que você tem que fazer para começar a anunciar no Facebook, antes mesmo de continuar lendo esta aula, é ler o manual de instruções do próprio Facebook.

Sim, o Facebook tem um manual de instruções. O único local na internet 100% confiável e 100% atualizado com tudo o que você precisa saber para começar a anunciar no Facebook.

É a Central de Ajuda do Facebook. Um link que deve estar nos seus favoritos caso você queira se especializar em geração de tráfego.

Esse é o manual de instruções que a própria rede fornece para que você saiba absolutamente tudo o que precisa saber para gerar tráfego pago a partir do Facebook.

Diferente do que vendedores de cursos querem te convencer, não existem esquemas secretos, segredos ocultos ou automações mágicas que vão trazer um caminhão de tráfego barato para as suas páginas.

O que você tem a fazer é ler a Central de Ajuda e ir mexendo no Facebook, criando seus anúncios para depois coletar os dados e analisar os resultados. E aí você otimiza os anúncios, coleta novos dados e analisa os novos resultados.

Esse é o feijão com arroz, o básico do básico. Agora vamos ver os 7 requisitos para começar a anunciar no Facebook.

Como começar a anunciar no Facebook montando uma Fanpage

Começar a anunciar no Facebook

Se você viveu os primórdios do Facebook, deve lembrar como eram populares as fanpages.

Elas eram páginas que quaisquer pessoas podiam criar para tratar de um assunto.

À medida em que outras pessoas curtiam essa página, praticamente tudo o que você publicasse era mostrado para quem curtiu a fanpage.

Muita gente conseguiu criar presença digital, montar uma comunidade e até mesmo gerar negócios lucrativos a partir das fanpages.

Com o tempo, no entanto, o Facebook começou a limitar o alcance das publicações das páginas. Hoje em dia, apenas uma pequena porcentagem das pessoas que curtem uma página recebem organicamente as publicações.

Se você tem uma fanpage e quer que os seus seguidores vejam suas publicações, você precisa agora pagar ao Facebook para impulsionar o seu conteúdo.

A nova realidade das fanpages

Embora as fanpages não sejam mais como antigamente, elas ainda são necessárias para quem quer começar a anunciar no Facebook.

Na Tarefa #9 deste curso, você foi orientado a registrar as suas redes sociais, incluindo uma página no Facebook.

Essa página é necessária para você trabalhar seu tráfego pago no Facebook.

Basicamente é para isso que ela vai servir. Você pode realizar algumas configurações para que suas postagens no seu blog e no seu Instagram sejam replicadas na fanpage, para que a página não fique sem conteúdo.

Com a página criada, o segundo passo é você criar uma conta no Gerenciador de Anúncios.

Como criar uma Conta de Anúncios no Gerenciador de Negócios do Facebook

Gerenciador de Negócios

É possível começar a anunciar no Facebook por meio da sua conta pessoal, impulsionando publicações na sua fanpage.

No entanto, se você quer realmente levar a sério sua estratégia de tráfego pago, é essencial criar uma Conta de Anúncios no Gerenciador de Negócios do Facebook.

O Gerenciador de Negócios tem como grande função separar suas atividades profissionais das suas ações pessoais no Facebook.

Nele, você consegue criar sua empresa e, dentro dela, uma Conta de Anúncios.

Eis o que você deve fazer:

  1. Acessar o Gerenciador de Negócios do Facebook
  2. Criar uma Empresa
  3. Adicionar a sua fanpage
  4. Criar uma Conta de Anúncios

Você pode ter várias Empresas e, dentro delas, várias fanpages e diversas contas de anúncios.

Para efeitos deste curso, todavia, vamos trabalhar e sempre exemplificar o caso de uma conta de anúncios e uma fanpage dentro de uma só Empresa.

Depois que você tiver sua Conta de Anúncios criada, o terceiro pré-requisito para começar a anunciar no Facebook será a instalação do Pixel.

Como instalar o Pixel do Facebook no seu site

Durante a Etapa 2 do curso Presença Digital de Zero a Dez, tivemos 14 aulas mostrando passo a passo como você deve criar um site absolutamente completo para marcar presença na internet e quem sabe até gerar um negócio digital.

Para ter acesso a todas as aulas do curso, basta você preencher seu email no campo abaixo:

Descubra o método de 10 etapas que qualquer pessoa pode usar para criar presença digital e transformar seu hobby no seu trabalho começando do zero hoje mesmo.

Pois bem, uma vez que seu site esteja criado, você precisa instalar nele o Pixel do Facebook.

Pixel do Facebook é um código personalizado que você copia da sua Conta de Anúncios e cola em todas as páginas do seu site.

Por meio desse código, o Facebook consegue rastrear todas as pessoas que visitam o seu site.

Além de conhecer em detalhes o público que visita seu site, o Pixel permite que você direcione anúncios específicos para pessoas que acessaram determinadas páginas ou executaram certas ações.

Para isso, o Pixel do Facebook é dividido em duas partes.

Parte 1: Código Base do Pixel

O Código Base do Pixel do Facebook deve estar presente em todas as páginas do seu site, logo no início da página, antes mesmo do fechamento da tag.
Ele se assemelha a um código desse:


!function(f,b,e,v,n,t,s)
{if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};
if(!f._fbq)f._fbq=n;n.push=n;n.loaded=!0;n.version='2.0';
n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];
s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window, document,'script',
'https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js');
fbq('init', '123456');
fbq('track', 'PageView');

Se você entende algo de linguagem de marcação e usa o WordPress conforme recomendado neste curso, basta copiar esse código no seu Gerenciador de Anúncios (Gerenciador de Anúncios > Todas as ferramentas > Mensurar e relatar > Gerenciador de Eventos > Pixels > Instalar Pixel e depois colar no cabeçalho do seu tema para WordPress.

Se você usa WordPress mas não sabe mexer em códigos, pode instalar o plugin gratuito Tracking Code Manager. Com ele, você só precisa colar o código no plugin que ele vai colocar o Pixel em todas as páginas do seu site.

Uma vez que o Código Base estiver instalado, o Pixel do Facebook começa a rastrear todas as visualizações de páginas no seu site.

Para rastrear outras ações, contudo, você precisa instalar a segunda parte do Pixel.

Parte 2: Código do Evento

O Código do Evento é uma segunda parte do Pixel que serve para que o Facebook saiba quais ações as pessoas estão fazendo no seu site.

Por exemplo, digamos que você criou uma página de captura conforme instruído na Tarefa #59 deste curso.

Para o Facebook saber que um usuário se cadastrou na sua página de captura, você precisa instalar um Código do Evento chamado CompleteRegistration na página que aparece após a confirmação do cadastro.

O Código do Evento, portanto, é complementar ao Código Base e só deve ser instalado em páginas específicas. Eis um exemplo:


fbq('track', 'CompleteRegistration');

Existem vários eventos importantes que podem ser rastreados pelo Facebook. Os mais importantes para o processo que estamos estudando no curso Presença Digital de Zero a Dez são:

  • Visualizar conteúdo: Uma visita a uma página de conteúdo importante para você, como uma página de produto, uma página de destino ou um artigo. As informações sobre a página visualizada podem ser passadas para o Facebook para uso em anúncios dinâmicos.
  • Cadastro (Lead): Um envio de informações por um cliente com o entendimento de que ele pode ser contatado em uma data futura por você.
  • Registro Concluído: O envio de informações por um cliente em troca de um serviço fornecido pela sua empresa (exemplo: cadastro para assinatura de email).
  • Iniciar finalização da compra: O início do processo de finalização da compra.
  • Comprar: A conclusão de uma compra, normalmente indicada pelo recebimento do pedido, da confirmação de compra ou do recibo da transação.

Visto que mexer em código não é algo natural para a maioria das pessoas, o Facebook disponibiliza uma segunda opção para quem quer gerenciar eventos sem instalar o Código do Evento.

Gerenciando eventos sem mexer em código

Para quem quer gerenciar eventos sem ter que ficar mexendo em códigos, é possível usar a opção de usar a ferramenta de Configuração de Evento do Facebook.

Para isso, basta você informar o endereço da página que corresponde ao evento e depois dizer a qual evento essa página se refere.

Voltando ao exemplo da página de captura. Você pode dizer ao Facebook que a página www.seusite.com.br/obrigado corresponde ao evento Registro Concluído.

Assim, toda vez que alguém chegar a esse endereço específico, o Facebook contabilizará um Registro Concluído.

Com essas configurações, você consegue começar a anunciar no Facebook com métricas precisas, criando anúncios otimizados para cadastros de emails, para compras, para contatos etc.

Como começar a anunciar no Facebook para o público certo

Persona

Na Tarefa #2 e na Tarefa #3 do curso Presença Digital de Zero a Dez, você definiu o seu nicho de mercado e a sua persona.

Relembrando, nicho de mercado é um conjunto pequeno de pessoas com um mesmo interesse.

Ora, se todas as pessoas desse conjunto possuem um mesmo interesse, podemos escolher apenas uma dessas pessoas para representar todo o nicho.

Essa pessoa ideal representativa de todo um nicho é o que se chama persona.

Uma persona é o representante ideal das pessoas que compõem um nicho. Ela não é uma pessoa real, mas um personagem que você vai criar utilizando os dados das pessoas reais que compõem o seu nicho.

Para começar a anunciar no Facebook como um profissional, você precisa direcionar os seus anúncios como um raio laser mirando especificamente nessa persona.

Se fez tudo certo até aqui no curso, você sabe exatamente o público que quer atingir. Conhece não apenas dados demográficos como idade, gênero e localização, mas principalmente conhece quais são os principais desejos e temores do seu público-alvo.

Com esses dados em mãos, você consegue criar o que o Facebook chama de Público Salvo.

Criando um Público Salvo de acordo com sua persona

No Gerenciador de Negócios do Facebook, acesse Todas as ferramentas > Ativos > Públicos e clique no botão de Criar Público > Público Salvo.

Dê um nome para o seu Público Salvo e, com os dados que coletou para a sua persona, defina:

  • Localização: o país, estado ou até cidade onde sua persona mora ou por onde passou recentemente.
  • Idade: a faixa etária da sua persona.
  • Gênero: se o seu público é só de homens, só de mulheres ou ambos.
  • Idiomas: se você quer anunciar apenas para quem fala português do Brasil ou se quer abordar falantes de outros idiomas.
  • Direcionamento detalhado: aqui você pode incluir os interesses específicos da sua persona, podendo inclusive excluir certos interesses. Por exemplo, você pode incluir pessoas que tenham interesse por Esportes, excluindo todas que se interessam por Futebol.

À medida em que você preenche esses campos, o Facebook informa o público potencial do seu anúncio. Esse público não pode ser tão pequeno a ponto de o Facebook não conseguir entregar o seu anúncio nem tão grande a ponto de o seu anúncio ser pouco específico.

O ideal é que o seu Público Salvo tenha entre 500 mil e 1 milhão de pessoas potencialmente.

Caso você preencha os dados e o seu Público Salvo tenha ficado muito distante dessa faixa, altere as configurações para ampliar ou reduzir o público, dividindo-o em dois.

Por exemplo, você pode restringir ou aumentar a faixa etária, separar homens de mulheres ou mexer nos interesses para chegar ao tamanho de público otimizado.

Além do Público Salvo, o Facebook permite que você também crie os chamados Públicos Personalizados.

O poder dos Públicos Personalizados

Diferente dos Públicos Salvos, os Públicos Personalizados são criados de acordo com fontes de tráfego suas ou do Facebook.

Por exemplo, você pode definir como Público Personalizado todo mundo que visitou o seu site nos últimos 30 dias. Ou todo mundo que se engajou com seu perfil no Instagram nos últimos 60 dias. Ou todo mundo que está na sua lista de emails.

Os principais Públicos Personalizados que você deve criar são:

  • Tráfego do Site: todas as pessoas que passaram pelas páginas do seu site em determinado período de tempo. Você pode, inclusive, definir por quais páginas específicas as pessoas passaram.
  • Arquivo de clientes: todas as pessoas que estão na sua lista de emails ou em outra base de dados que você possua. Aqui você precisa enviar para o Facebook a lista de emails que você possui e ele vai mostrar o anúncio para todos os emails enviados que possuem conta na rede social.
  • Vídeo: pessoas que assistiram determinada porcentagem de um vídeo seu no Facebook ou no Instagram.
  • Perfil comercial do Instagram: pessoas que visitaram ou interagiram com o seu perfil no Instagram.
  • Página do Facebook: pessoas que curtiram ou interagiram com sua fanpage em determinado período.

Os públicos personalizados são importantes para quem quer começar a anunciar no Facebook, mas especialmente por que eles permitem que você crie os chamados Públicos Semelhantes.

Públicos Semelhantes, o ativo que diferencia profissionais e amadores no Facebook

Por melhor que seja o seu conhecimento em relação às características da sua persona, provavelmente o Facebook sabe mais sobre elas do que você.

E você não só pode como deve aproveitar esse conhecimento do Facebook para gerar audiência em massa para o seu projeto.

Por exemplo, no começo da sua jornada para criar presença digital é provável que receba poucos visitantes no seu site, que tenha poucos seguidores no Instagram, que tenha poucos cadastros na sua lista de emails.

Para expandir esses números, você pode pedir ao Facebook para encontrar pessoas semelhantes a esses visitantes, seguidores e cadastrados.

O algoritmo do Facebook vai analisar as características de todo mundo que passou pelo seu site, que seguiu você no Instagram ou que se cadastrou na sua lista e começar a mostrar o seu anúncio para pessoas com características parecidas.

Os Públicos Semelhantes (ou Lookalikes) podem expandir seus Públicos Salvos ou Personalizados em até 10%. O 1% semelhante consiste nas pessoas mais semelhantes à sua fonte semelhante. Aumentar a porcentagem cria um público maior e mais amplo.

Agora que você conhece os três principais tipos de públicos, já pode começar a anunciar no Facebook para os públicos certos.

10 públicos que você deve criar para começar a anunciar no Facebook

Se você quer uma sugestão de quais públicos deve criar para começar a anunciar no Facebook, eis uma sugestão.

  1. Públicos Salvos: comece criando Públicos Salvos de acordo com os interesses e dados demográficos da sua persona. Crie subdivisões caso algum deles fique muito fora da faixa de 500 mil a 1 milhão de pessoas.
  2. Lista de Emails: se você já tem uma lista de emails, crie um público personalizado com essa base de dados. Lembre-se de atualizar sempre que a lista crescer. Caso você tenha uma lista de clientes (de pessoas que já compraram algo de você), crie um público em separado para ela.
  3. Evento Cadastro (Leads): para complementar o público da Lista de Emails, crie um público personalizado com todas as pessoas que completaram o evento Cadastro (Leads). A vantagem é que esse é sempre atualizado automaticamente pelo Facebook e você pode definir períodos de tempo como 7, 14, 30, 60 e 90 dias para segmentar quão recentes esses cadastros estão.
  4. Visitantes do Site: crie um público personalizado com todas as pessoas que passaram pelo seu site. Dependendo do volume, você pode dividir esse público em períodos como 7, 14, 30, 60 e 90 dias.
  5. Visitantes que ficam mais tempo no site: para ter um público mais engajado, crie um público personalizado com as 5% a 25% das pessoas que passaram mais tempo no seu site.
  6. Visitantes de páginas específicas: crie públicos segmentados para pessoas que visitaram páginas importantes do seu site, caso você as tenha. Por exemplo, você pode criar um público para todo mundo que visitou uma página de captura sua e não completou o cadastro.
  7. Pessoas que se envolveram com sua fanpage: esse é um público menos importante atualmente, mas que ainda vale a pena ser criado.
  8. Pessoas que se envolveram com seu perfil no Instagram: caso você tenha uma presença digital no Instagram, esse é um público bem interessante a ser criado.
  9. Pessoas que assistiram aos seus vídeos: este é um público muito importante, pois o relacionamento por vídeos é o que dá mais resultados para a maioria dos nichos de mercado. Crie públicos separados para quem viu 25%, 50%, 75% e 95% dos seus vídeos.
  10. 5 Públicos Semelhantes para cada um dos públicos anteriores: por fim, crie 5 públicos semelhantes de 1% a 5% para cada um dos públicos personalizados anteriores que tiverem relevância para o seu caso, exceto para o público salvo de interesses (o primeiro da lista). O mais importante aqui é o público semelhante para a sua lista de emails.

Uma vez que você tenha os seus públicos definidos, o próximo pré-requisito para começar a anunciar no Facebook é saber para onde enviar essas pessoas.

Para onde enviar quem clica nos seus anúncios

Página de captura do Mude Você

No curso Presença Digital de Zero a Dez, estamos vendo um funil de vendas baseado em marketing de conteúdo.

Em linhas gerais, todo o processo que estamos vendo no curso resume-se a:

  1. Criar uma audiência interessada em um nicho de mercado específico
  2. Relacionar-se com essa audiência gerando muito conteúdo de valor
  3. Oferecer um produto ou serviço que resolva os problemas desse nicho de mercado

Em termos práticos, isso significa criar um site com páginas de captura que ofereçam recompensas digitais para você criar uma lista de emails, por meio da qual você fará a comunicação com seu público em conjunto com seus perfis nas redes sociais.

Dentro dessa lógica, existem dois “lugares” para onde você deve enviar os públicos dos seus anúncios:

  1. Para páginas de captura: você deve enviar pessoas que ainda não conhecem você ou que ainda não estão na sua lista de emails. Por exemplo, públicos semelhantes à sua lista de emails, aos visitantes do seu site e aos seus seguidores nas redes sociais.
  2. Para páginas de ofertas: você deve enviar pessoas que já estejam nas suas listas e com as quais você já tem um relacionamento. Esses são os chamados leads quentes, que já estão prontos para comprar um produto ou serviço seu.

Nesta sexta etapa do curso, você já deve ter uma página de captura criada conforme orientado na Tarefa #59. A página de oferta veremos nas próximas etapas do curso.

O próximo pré-requisito para começar a anunciar no Facebook é uma consequência deste. Estamos falando da sua lista de emails.

Passando quem clicou nos seus anúncios para sua lista de emails

No mundo ideal, as pessoas que clicam nos seus anúncios vão se interessar pela recompensa digital oferecida nas suas páginas de captura e vão se tornar leads (cadastros) na sua lista de emails.

Por isso o sexto pré-requisito para começar a anunciar no Facebook é ter uma lista de emails pronta e configurada, conforme visto na Tarefa #57.

Iniciando o relacionamento com uma Sequência de Emails

Página de captura

Como vimos na aula sobre Marketing Direto, existem três tipos de clientes:

  1. O que sabe que precisa do produto e procura esse produto
  2. O que sabe que precisa do produto, mas não está procurando por ele
  3. O que não sabe que precisa (mas precisa!) do produto e nem está procurando por ele

Sua missão é educar o cliente tipo 3 até que ele se torne um cliente tipo 1. Isso é feito basicamente oferecendo conteúdo de valor por email e se relacionando por meio das redes sociais.

Por isso é importante que, depois que a pessoa clique no seu anúncio e entre na sua lista de emails, já existe uma sequência automatizada de emails pronta para ser enviada aos seus novos cadastros.

Caso contrário, você pode gastar dinheiro para anunciar, gastar ainda mais dinheiro para manter a base de clientes no software de email marketing e deixar tudo isso parado por não enviar emails para as pessoas da sua lista.

Uma sequência de emails não precisa ser algo muito complicado. Você pode ter um email que é disparado automaticamente, assim que a pessoa entra na sua lista, entregando a recompensa digital oferecida.

Depois pode ter mais 4 ou 5 emails automáticos entregando ainda mais valor para o seu público.

Quando os visitantes são mais recentes na sua lista, em tese estão mais dispostos a receber emails com maior frequência.

Por isso esses emails da sequência inicial podem ter intervalos de 1 a 7 dias. Mais importante do que a frequência é a qualidade do conteúdo que você está entregando por email.

Antigamente se usava o email para criar relacionamento com a lista. Como o hábito de ler emails mudou nos últimos anos, hoje em dia usa-se o email mais para informar de eventos importantes (como a entrega de uma recompensa digital ou o anúncio de um lançamento).

E o relacionamento? Esse passa a ser feito mais por meio de redes sociais como Instagram, Twitter, YouTube, Linkedin e Facebook, dependendo do seu público-alvo.

Conclusão: 7 coisas de que você precisa para começar a anunciar no Facebook

Começar a anunciar no Facebook

Percorremos um grande caminho até aqui, mas tudo isso é necessário para você começar a anunciar no Facebook do jeito certo, sem jogar dinheiro no lixo.

Resumindo, o que você precisa ter antes mesmo de criar qualquer campanha de anúncio é:

  1. Criar uma fanpage para o seu projeto
  2. Criar uma Conta de Anúncios no Gerenciador de Negócios do Facebook
  3. Instalar o Código Base do Pixel do Facebook em todas as páginas do seu site e configurar os eventos nas páginas específicas
  4. Criar os Públicos Salvos, os Públicos Personalizados e os Públicos Semelhantes na sua Conta de Anúncios
  5. Ter Páginas de Captura prontas para receber o tráfego vindo dos anúncios
  6. Ter uma Lista de emails preparada para receber as pessoas que se cadastram nas suas páginas de captura depois de clicar nos anúncios
  7. Ter uma Sequência de 4 ou 5 emails a serem automaticamente enviados para quem se cadastrou na sua lista de emails depois de clicar nos anúncios

Quando tudo isso estiver pronto, você estará apto a criar suas primeiras campanhas de anúncios para captar leads, assunto da nossa próxima aula.

Plano de Ação 6.3

Ao final de cada aula do curso Presença Digital de Zero a Dez, ofereço uma série de tarefas específicas para você executar.

A ideia é não ficarmos apenas na teoria, mas partirmos para transformar, na prática, projetos em realidade.

As tarefas estão numeradas de forma sequencial desde a primeira aula, para que alguém que chegue no meio da jornada possa se localizar com facilidade.

Tarefa #62: Leia a Central de Ajuda do Facebook

A Tarefa #62 é simples, mas pouca gente faz. Quase ninguém.

A tarefa é simplesmente ler a Central de Ajuda do Facebook. Link por link. Estudando tudo o que existe por lá.

Esse é o curso mais completo e mais barato de Facebook que você pode fazer.

Tarefa #63: Preencha os pré-requisitos para começar a anunciar no Facebook

Depois de ler a Central de Ajuda do Facebook, sua tarefa é assegurar que preenche os 7 pré-requisitos para começar a anunciar no Facebook.

Em termos práticos, você deve:

  1. Criar uma fanpage para o seu projeto
  2. Criar uma Conta de Anúncios no Gerenciador de Negócios do Facebook
  3. Instalar o Código Base do Pixel do Facebook em todas as páginas do seu site e configurar os eventos nas páginas específicas
  4. Criar os Públicos Salvos, os Públicos Personalizados e os Públicos Semelhantes na sua Conta de Anúncios
  5. Ter Páginas de Captura prontas para receber o tráfego vindo dos anúncios
  6. Ter uma Lista de emails preparada para receber as pessoas que se cadastram nas suas páginas de captura depois de clicar nos anúncios
  7. Ter uma Sequência de 4 ou 5 emails a serem automaticamente enviados para quem se cadastrou na sua lista de emails depois de clicar nos anúncios

Na próxima aula do curso, com esses 7 pré-requisitos preenchidos, veremos como criar uma campanha de anúncios para captar leads para a sua lista de emails.

Até lá, deixe suas dúvidas e comentários logo abaixo.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos