Arquitetura da informação é indispensável

Arquitetura da informação é indispensável

Antes de começar a publicar artigos sobre arquitetura da informação, é necessário definir o que é este tema. Apesar de estar atualmente relacionada à internet e ainda ser pouco conhecida fora das produtoras web, a arquitetura da informação existe há séculos, tendo como grande exemplo a estruturação das bibliotecas tradicionais.

A técnica de estruturar informações de modo que possam ser classificadas e posteriormente localizadas por quem as procura encontrou na internet um vasto campo de aplicação. Sendo a web um meio predominantemente informacional, fica clara a vital importância da organização do conhecimento. Isso é aplicado tanto à internet como um todo como quanto a um site especificamente.

arquitetura da informação na web

Na web, a arquitetura da informação é responsável por estruturar e distribuir as seções de um site, intranet ou extranet. O arquiteto da informação deve definir quais seções são principais ou secundárias. Uma boa arquitetura deixa as informações facilmente identificáveis, a navegação intuitiva e a distribuição do conteúdo bem definida.

as sete palavras de ordem

  1. Organizar
  2. Navegar
  3. Nomear
  4. Buscar
  5. Pesquisar
  6. Desenhar
  7. Mapear

o arquiteto da informação

Geralmente, o arquiteto da informação tem que ter como característica principal a organização. Por definição, o principal profissional a assumir esse cargo seria o biblioteconomista. Apesar disso, é muito comum ver jornalistas, arquitetos e até engenheiros ocupando esses cargos.

O primeiro passo para se enveredar no ramo é ler livro Information Archictecture for the World Wide Web, de Peter Morville e Louis Rosenfeld. A obra é considerada uma verdadeira bíblia da arquitetura da informação, a ponto de ser praticamente impensável um arquiteto da informação que não tenha lido. Infelizmente, o livro ainda não ganhou uma tradução para o português.

links externos

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

3 comentários
  • A questão da arquitetura da informação passa, prioritariamente, pela conceituação de informação. Não é uma tarefa fácil. Basta dizer que em 1970, célebres pesquisadores e cientista do século, estiveram presente na França para expor questões/conceito contemporâneo sobre o tema, envolvendo filosofia, cibernética, matemática, história, etc.
    Creio que, para resultados eficazes, trabalhar a arquitetura da informação, sem ter o devido conceito é improdutivo e pode gerar resultados deficitários. Trabalha-se muito tecnologia em detrimento da matéria-prima iniformação.

  • O biblioteconomista? É isso mesmo!!! Quando querem mapear categorias para sites como Buscapé e Mercado Livre (que simplesmente abarcam todos os tipos de trabalhos e objetos da HUMANIDADE), quem eles chamam?

    Sou filósofo e educador, por formação acadêmica. E, INFELIZMENTE, acabo sendo chamado para isso muito mais do que designers e programadores, que poderiam simplesmente estudar mais um pouco e saber como dividir conhecimento e produção humana.

    Great post!

  • ser biblioteconomista é falar com a pessoas q entendem do ramo e certas. caso contrario mto dinheiro em vao vai ser disperdiçado…