Impressões sobre o 11º Encontro de Webdesign

No último sábado (14 de maio de 2006), passou pelo Recife a 11ª edição do Encontro de Webdesign, promovido pela Arteccom, que entre outras coisas edita a revista Webdesign. O evento aconteceu durante todo o dia, reunindo mais de 120 pessoas no auditório do Hotel Atlante Plaza, na beira-mar de Boa Viagem.

O evento reuniu muita gente (acho que mais de 120 pessoas no auditório, sobretudo do curso de graduação em Webdesign da Faculdade Marista) para quatro palestras e muita propaganda dos patrocinadores – especialmente de hospedagem.

Além de ficar impressionado com a quantidade de pré-desempregados, recebi um monte de brindes e cadastrei meu e-mail para spam em um curso de promoções, mas não ganhei nada. Fui apresentado ao Luli Radfahrer, que já havia sido meu professor da cadeira de Inovação no módulo de Planejamento Estratégico e Inovação no MBA do iGroup.

O tema da palestra do Luli (Radinho metido a besta) e da Flávia da Fonte (Design de interfaces e algumas histórias para contar) me fizeram fazer a inscrição no evento, já que as outras duas palestras – uma sobre e-mail marketing e outra da Marcela Catunda – não me interessavam muito.

A Flávia, da Nativ, tinha um bom material preparado e um tema interessante para abordar, mas foi vencida pelo nervosismo. Talvez desacostumada a falar em público, ficou muito ansiosa, passou rápido e superficialmente demais pelos slides e acabou sem conseguir transmitir tudo aquilo que tinha para passar.

O Luli foi exatamente o oposto. Verdadeiro showman, abriu a palestra com uma performance tirando de uma por uma as camisas do 6º Encontro de Webdesign, 7º Encontro de Webdesign, 8º Encontro da Webdesign até chegar… na camisa do glorioso Sport Club do Recife, que naquele dia comemorava 101 anos de existência com uma carreata bem em frente ao hotel onde acontecia o evento.

Em um auditório aparentemente repleto de freelancers interessados mais em ferramentas do que em conceitos, Luli deu um sacolejo no pessoal para ver se passamos todos a pensar mais à frente, em inovar e de fato fazer coisas diferentes e realmente úteis aproveitando o potencial da internet em vez de “criar sites Empresa – Serviços – Contato”. Sem receitas de bolo e com muito humor, foi aplaudido efusivamente por todos.

Walmar Andrade
Perguntas dos alunos

6 comentários